terça-feira, 5 de janeiro de 2016

#Onde o Amor se Esconde

Oii seus lindos tudo bem?? Como estão passando a semana??
Espero que tudo bem =DD
E eu estou aqui hoje, com a resenha do primeiro livro de 2016, que me arrependo de ter levado tanto tempo para poder ter lido. 
Com um cenário Paulista muito bem montado e personagens alem do cativante: Onde o Amor se Esconde.

Autora: Veridiana Maenaka
Editora: Verus

"Na São Paulo do início do século XX, a jovem Glória sonha com o amor, ao contrário de sua amiga Marisa, cujo desejo é viver tão livremente quanto os homens.
Glória, de família tradicional, se casa com o homem escolhido por seu pai. Rico e ambicioso, porém emocionalmente distante, esse homem vê na esposa apenas uma prova de sua ascensão social. Incapaz de dar um herdeiro ao marido, Glória vive uma rotina de violência crescente, enquanto Marisa se casa com o pretendente que escolheu, um notório libertino.
A infelicidade de Glória a torna suscetível à sedução de outro homem, e eles têm um encontro avassalador, marcado pela descoberta sexual da jovem. Envolvida em uma trama de luxúria, Glória pode conhecer um prazer jamais imaginado, mas será essa a sua chance de viver um grande amor?"

Eu não vou repetir que eu amo romances de época, mas eu confesso que este me encantou desde o começo, justamente por ser um livro nacional!
Passado em uma São Paulo onde quem comandava era os grandes barões do café e homens de negócios, as mulheres eram apenas para casamentos arranjados para gerar novos barões ou então eram as mulheres em bordeis usadas para diversão e sem valor algum.

É justamente neste cenário que temos uma historia muito bem elaborada, temos personagens tão cativantes, tão únicos que tornam a leitura dinâmica a ponto de eu não querer largar a leitura até o momento em que o livro acabou. Um livro onde a violência é mostrada em sua verdade nua e crua sobre o que acontecia dentro das paredes nas grandes mansões invejadas por todos, e o prazer e o amor, muitas vezes, são sonhos distantes ou é encontrado apenas nos braços de alguém fora do casamento, mas isso, anda de mãos dados com o perigo e coma  contante ameaça de morte.

Maria da Gloria é uma jovem com ideais românticos em sua época, e sonha em encontrar um marido como os dos livros que ela lê, e vê em Erasmo Galvão o home perfeito para tal papel. Dono de fazendas e cheio de negócios, seu pai logo vê nele o ideal de um genro perfeito, e não demora o casamento é arranjado. Mas passado a fase de cortejo e mal a tinta no cartório secou, para que o galante Erasmo, mostre sua verdadeira face e torne a vida de Maria um verdadeiro inferno. 
Erasmo se mostra um homem abusivo, violento, e tortura dia apos dia Maria, a trancando dentro de um quarto e a violentando dia apos dia. E mesmo com os empregados na casa, ninguém aprece se opor ao que acontece dentro da bela mansão, já que uma vez casada, Maria passa a ser propriedade de Erasmo e como tal, ele se vê no direito de acabar com a vida dela, surra apos surra, estupro apos estupro e ela se parece já condenada a morte, muito antes de sua vida de verdade começar. E quando finalmente, apos uma surra que dilacerou as costas de Maria e ela foi largada sangrando para morrer, ela é finalmente salva e agora, ela tem um unica oportunidade de se livrar de tudo isso.

"Não posso com a dor e não posso com a morte. Talvez seja fácil os realmente desesperançosos, os que de fato desistiram. Descubro que não sou uma desistente. Quero viver."

Ao contrario da vida sofrida que Maria leva, sua amiga de infância, Marissa, esta se casando com Cesár, um homem muito rico e que parece completamente apaixonado, mas que possui a fama de libertino, e para choque da maioria, parece que Marissa não se incomoda nem um pouco com o estilo de vida do marido, e o mais impressionante para todos da época, é que corre os boatos de que ela muitas vezes, participa das atividades devassas junto com o marido. E é Marissa, quem ajuda Maria nos primeiros passo na descoberta de que existe prazer no sexo e muito mais alem do que Erasmo sempre a sujeitou, quando ela apresenta o irmão de Cesár, Fernando a Maria, e ela tem a chance de experimentar pela primeira vez a alegria de compartilhar a cama com alguém que não esta interessado em nada alem da felicidade dela. 

A descoberta do prazer de Maria é um momento extremamente emocionante, já que para uma jovem que passou a vida em meio ao cativeiro que sempre esteve ao seu redor, esta pequena rendição é como um bote em um oceano de crueldades, mas não demora muito, Maria descobre os verdeiros planos de Marissa, que estão embolados em uma teia de sexo e mentiras que parece totalmente abominável a Maria, que ainda acredita na existência do amor, e parece que ela esta prestes a encontrar o amor onde ela nem mesmo nunca procurou, e é com Marcelo, que agora Maria, ira descobrir o que significa o amor de verdade.

"De súbito, vejo-o como nunca vi antes e prendo a respiração, sentindo o corpo todo acusar-me: fingida, sonsa, dissimulada!"

O livro é dividido em três partes que são Dor, Prazer e Amor e que são muito bem representadas por tudo que acontece na vida de Maria até que chegamos ao final do livro e que eu me senti como alguém que passou o tempo todo ouvindo como se um conhecido estivesse me apresentando a uma historia de alguém poderia estar próximo de mim o tempo todo. Cheio de intrigas, mortes, luxuria e um romance mais que bem montado, os personagens interagem ente si de maneira quase que teatral e o livro passou a ser extremamente visual  mesmo nos momentos mais difíceis de se acompanhar como a violência extrema sofrida, até os momentos de romance são muito bem escritos e no momento em que ele acabou sabia que tinha ali, um novo livro favorito.

"- Obsessão é fome. Onde há fome, não há ética nem pudor. A fome só se satisfaz com o abate, com a destruição."

E é só por hoje seus lindos.
Um bjo e até breve amores <33
#Lih_maria

4 comentários:

  1. Meninaaaaa, que sofrida essa Marida! Coitada, me diz que essa mulher é feliz pelo menos Lih? haha Se tiver oportunidade gostaria de ler um dia, mesmo que eu prefira os romances de época fofinhos da Lisa Kleypas é bom dar uma sacudida de vez em quando né? :) Feliz 2016 pra nós com ótimas leituras! Beijos!
    http://www.trocandodisco.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá :)
    Nossa esse livro parece ser muito sufocado de emoções, não sei se leria... mas confesso que amei a premissa!
    Adorei seu blog e já estou seguindo.

    Beijos,
    http://livrosentretenimento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Lih, tudo bem?
    Nossa, que livro intenso, imagino a quantidade de emoções que você deve ter sentido no decorrer da leitura. Confesso que fiquei muito curiosa quanto ao livro, mas não leria por agora, pela intensidade do mesmo.
    Ótima resenha.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    http://blog.amanda-almeida.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oooi! Tudo bem?

    Acabei de ler sua resenha do Ken Follet lá no Entre Parênteses, então pulei o último post e vim comentar nesse aqui! Aaaaah também amo romances de época, é meu gênero favorito, junto com distopias. Já estou com vontade de ler, ainda mais por ser nacional. Gostei da sua resenha, deu pra perceber que é um livro com uma carga dramática maior, que foge um pouco daquele deslumbramento da sociedade e do amor idealizado pra retratar um lado mais "sombrio" digamos. A maioria dos romances de época vai muito mais pro lado do romance propriamente dito, as mocinhas acabam se entregando antes do casamento, mas por mais que comece como algo de pele, a gente sabe que o mocinho vai se apaixonar e eles vão se casar, que vai ser um final bem conto de fadas. Não sei o final desse, mas o fato de retratar um casamento abusivo já mostra um diferencial enorme, e não vejo a hora de conferir por mim mesma.

    Beijinhos, te espero lá no http://amendoasefelpices.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir