quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Sessão de autógrafos: Julia Quinn!

Heeey seus lindos tudo bem?? Como esta a semana de vocês??
Eu só posso dizer que não tem como eu ficar chateada esta semana,. porque mal Setembro começou depois de 1 ano em Agosto, e já chegou bombando.
Como vocês devem estar sabendo, este mês temos a Bienal do livro, e como sempre, temos autores lindos vindo para fazer as turnês e deixar todo mundo muito feliz, e ontem já fiquei feliz ao máximo porque a primeira autora que veio e quem eu tive a chance de conhecer foi a muito amor, super fofa dos romances de época, Julia Quinn <33
Gente, só posso dizer que antes de mais nada, foi um dos eventos mais bem organizados que eu já fui. Podendo levar o limite de três livros por pessoa, o que é mais que justo afinal, ela também é gente como a gente, e fica cansada né, também teve apenas 300 senhas distribuídas.

Eu fui para a fila as 6 da manha para conseguir a minha senha e depois voltei para a a Livraria Cultura mais tarde e já estava odo mundo naquele clima de animação ao máximo. Eu encontrei muuito gente lá, revi blogueiras lindas que estava com mor saudades e claro me diverti pra caramba, o que foi ótimo.

Um pouco antes de começar os autógrafos, eu vi a própria Julia chegando e meu coração já começou a ficar disparado, e quando depois de duas horas chegou minha vez de conhecer ela confesso que subiu umas lagrimas e eu fiquei engasgada e ela lá super de boa falando comigo!

Gente ela é muuito amorzinho, super simpática e tratou os fãs dela com todo carinho, com direito a ganhar presentinhos e ela só agradecendo aos fãs por todo carinho e ela esta chocada com a quantidade de pessoas que admiram o trabalho dela qui no Brasil!

E quando eu consegui meu autografo foi só alegria gente e sai de lá cansada pacarai, mas sorrindo muuito!!
Alias eu sai de lá mais ou menos assim:

Em resumo bem grande só que foi ontem, eu agora estou bem ansiosa pelo autografo da Collen Houck da Maldição do Tigre e já estou fazendo os planos aqui de novo!
E claro, rolou tietagem até dizer chega com a Julia \O/

Boom é só por hoje amores!
Abrindo Setembro em grande estilo e que esperam que tem mais \O/
Bjoos e até em breve!
#Lih_Maria

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

#O Despertar do Príncipe

Heeeey seus lindos tudo beem?? Como esta a semana de vocês?? Eu espero que bem =DD
Já aviso que hoje teremos duas coisas aqui...uma resenha cheia de amor e Kpop porque eu to muuito na vibe deles hoje, e a Sarah já deu sinal positivo, então ta liberado!
Entãão, resenha de hoje, nova serie da muuito fofa amante de tigres e que já aviso irei atras dela para autógrafos, a serie Deuses do Egito: O Despertar do Príncipe.

Titulo Original: Reawakened
Autora: Collen Houck
Editora: Arqueiro

"Quando a jovem de dezessete anos, Lilliana Young, entra no Museu Metropolitano de Arte certa manhã, durante as férias de primavera, a última coisa que esperava encontrar é um príncipe egípcio ao vivo com poderes divinos, que teria despertado após mil anos de mumificação.E ela realmente não poderia imaginar ser escolhida para ajudá-lo em uma jornada épica que irá levá-los por todo globo para encontrar seus irmãos e completar uma grande cerimônia que salvará a humanidade.Mas o destino tem tomado conta de Lily, e ela, juntamente com seu príncipe sol, Amon, deverá viajar para o Vale dos Reis, despertar seus irmãos e impedir um mal em forma de um deus chamado Seth, de dominar o mundo."

Geeeente, antes de mais nada, eu começo dizendo que foi lindo de ver a mudança na escrita da autora desde a serie do Tigre, que por sinal sou muuito fã.
Claro que algumas coisas são marca da própria autora, mas podemos ler tranquilamente o Despertar do Príncipe sem nos preocuparmos em comparar com nada dos Tigres. Temos personalidades totalmente diferentes, um cenário novo e uma jornada totalmente nova.
Mas o que eu mais fiquei animada é que não temos mais as descrições infinitas de comida, nem enrolações no enredo. Temos uma nova soga totalmente articulada e muito bem trabalhada. Então para nós fãs, só temos o que comemorar.

Eu sempre fui apaixonada pelo Egito, e quando eu fiquei sabendo que o esse novo livro se passava em meio a mitologia egípcia eu fiquei super empolgada, e da pra perceber todo o trabalho de pesquisa que a Collen fez para poder dar vida a cada detalhe. 
Em meio as Piramides, historias sobre rainhas e esfinges, temos personagens encantadores que nos conquistam logo de cara.

Liliana Young, a Lily, acaba de fazer 17 anos e apesar de ser rica, ter uma vida que causaria inveja em qualquer um, ela não poderia estar mais presa. Seus pais tem idealizados nela uma criança que nasceu para a perfeição e levam isso muito a serio, controlando quem pode ser amigo dela, como o cabelo dela deve aparecer e agora, estão selecionando para ela que curso ela deve ter na faculdade. Com pais que não esperam nada dela alem de suas próprias expectativas, estão longe de serem uma família carinhosa e atenciosa, se reunindo apenas para discutir como favorecer as alianças politicas.
Presa em uma bolha que ela nunca teve forças para estourar, mesmo assim ela tenta viver um pouco daquilo ela realmente gosta nos poucos momentos que ela tem para si mesma. E um dos seus hobbies é observar as pessoas em situações normais em volta dela, e seu lugar favorito é o Museu Metropolitano de Artes. 
Mas toda sua vida muda, quando ela vai até a sessão do Egito para poder ficar um pouco sozinha, já que a área esta em reforma e acaba descobrindo sem querer que uma das múmias parece ter fugido de seu sarcófago, e o mais assustador, ela esta ali com ele, sozinha.

"Ao me virar para ir embora, olhei para baixo e de repente percebi duas coisas: primeiro, que o sarcófago cheio de palha não continha nenhuma múmia; segundo, que a serragem exibia outro conjunto de pegadas além das minhas, pegadas deixadas por pés descalços e que se afastavam do sarcófago."

Em meio a varias referencias a filmes de múmias, cheio de cadáveres voltando a vida com suas ataduras e planos de vingança, já podemos perceber que Lily é muito mais do que aparenta. Com uma personalidade muito mais forte do que aparenta, e uma vontade unica de se soltar de tudo que a prende, ela tem agora a chance de ouro de viver a vida de acordo com as suas próprias vontades, mesmo que seja ao lado de uma múmia de seculos de existência. Vemos então como ela é corajosa, sarcástica e realmente tem um coração enorme, e graças a suas habilidades de observação ela se prova muito útil nos momentos em que mais se precisava dela.

Agora sobre a múmia em questão, já aviso que não temos aqui uma múmia pronta para lançar uma maldição na Terra, na verdade não temos um cadáver em decomposição de volta a vida.
Amon é tudo, menos um cadáver em decomposição, alias, para quem voltou dos mortos com a missão de salvar a humanidade da ira de um deus sombrio, ele esta muito bem!
Dono de uma realeza que parece ter voltado a vida com ele, mandão, as vezes arrogante e totalmente focado no dever, Amon é um verdadeiro príncipe dos pés a cabeça. Mas ele esta em meio a um problema, ele não despertou no local onde deveria e para piorar os vasos canopos, que contem sua força vital não estão com ele, então sua existência esta ameaçada e sua missão core o risco de fracassar. 
Mas por sorte do destino, no momento que ele despertou tinha alguém com ele, que era ninguém menos que Lily, e agora, depois de quase tudo já começar dando muito errado, eles então precisam se ajudar, mas as consequências disso são arriscadas, mas ambos precisam agora um do outro mais do que nunca.

Temos aqui um inicio de uma aventura unica, já que agora, Amom e Lily devem ir até o Egito atras de seus vasos canopos, e principalmente ir atras de seus irmãos, pois sem eles, Amon não vai conseguir realizar o encantamento para impedir o deus Seth e seus seguidores de jogarem o mundo na escuridão.
Mas é claro, apesar de viagens perigosas, armadilhas antigas, feitiços e deuses antigos, os sentimentos entre os dois começam a surgir, mas nada é tão fácil, quando seu destino já esta selado a uma promessa de seculos atras. Mas não existe nada mais forte que  um coração que toma uma decisão.

"Meu coração se enche de alegria divina, pois eu sou dela e ela é minha."
  

 Ahh e não posso deixar de dizer que eu sou totalmente fã dos irmãos de Amon, mas para não ficar muito grande vou deixar para falar deles nas futuras resenhas porque, já prevejo que eles ainda terão muito o que aparecer ainda.

Bom seus lindos, é isso por hoje, e eu espero que vocês tenham gostado!
Uma ótima semana e força gente que Agosto ta acabando!
Amo vcs <33
Bjoos
#Lih_Maria

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

#Uma História de Amor e TOC

Oiii seus lindos tudo bem?? Como estão??
Aii eu to aqui de volta curtindo finalmente um friozinho em São Paulo e eu não ia postar nada hoje, mas eu resolvi não adiar mais esta resenha.
O motivo de eu estar adiando tanto é que, de verdade, eu não gostei desse livro =//
Então eu trago para vocês hoje, lembrando que é minha opinião então sem surtos por favor: Uma História de Amor e TOC.

Titulo Original: OCD Love Story
Autora: Corey Ann Haydu
Editora: Galera Records

Bea foi diagnosticada com transtorno obsessivo-compulsivo. De uns tempos pra cá, desenvolveu algumas manias que podem se tornar bem graves quando se trata de... garotos! Ela jura que está melhorando, que está tudo sob controle. Até começar a se apaixonar por Beck, um menino que também tem TOC. Enquanto ele lava as mãos oito vezes depois de beijá-la, ela persegue outro cara nos intervalos dos encontros. Mas eles sabem que são a única esperança um do outro. Afinal, se existem tantos casais complicados por aí, por que as coisas não dariam certo para um casal obsessivo-compulsivo? No fundo, esta é só mais uma história de amor... e TOC.


Uhnn, eu confesso que estava super empolgada com este livro, e nas primeiras paginas ele foi até divertido, mas então eu percebi que a leitura não fluía e o que era pior, já estava na metade do livro e não estava sentindo nada por ele.
Já tiveram a sensação de ser uma leitura que esta se arrastando e nada nela esta te agradando?? Era justamente assim que que estava me sentindo.
Eu falei com algumas amigas obre esse livro e algumas estavam lendo ao mesmo tempo que eu e foi bem divido entre pessoas que gostara absurdos desse livro e pessoas do time que não gostaram, e lamento legião de fãs, ma eu fiquei na segunda categoria. 

A premissa da historia é bem simples na verdade, e a construção dos personagens nos deixa bem próxima dos TOCs de cada um deles, mas aconteceu que os personagens eu achei sem uma gota se quer de carisma e isso me causou um certo incomodo durante toda leitura. Mesmo trazendo uma linha bem tênue entre o que podemos considerar normal ou não dentro do comportamento de cada um, algumas coisas ficaram a deriva e também foi outro ponto negativo. Mas o fato da autora explorar um assunto até então ignorado e achei uma coragem muito grande, também mostrar a convivência entre pessoas com TOC e pessoas "normais" ficou bem legal, porque afinal, quem não tem uma mania estranha que não conta para ninguém e mesmo assim se sente totalmente normal??

Bea desenvolveu TOC apos um termino de relacionamento, e então passou a desenvolver um TOC considerado particularmente perigoso pelas pessoas a sua volta: quando ela se interessa por alguém do sexo oposto, ela se torna o tipo perseguidora, mesmo que ela não saiba nada sobre essa pessoa, ela passa a seguir pela rua, observar a pessoa cada vez mais de perto e ai que as coisas piaram a ponto dela realizar vigias a casa da pessoa, e passa a monitorar a vida da pessoa. Por mais inofensivo que até então possa parecer, ela acaba na mira da policia e ela assusta as pessoas a sua volta. 

"Sou assim, às vezes. Um pouco estranha. Ou, como gosto de pensar, peculiar. Estranha e peculiar."

A Bea é uma personagem um tanto diferente do que eu estou acostumada, e de inicio eu dei boas risadas com ela e com os pontos de vista incomuns dela, mas depois de um tempo a graça se foi e eu não consegui mas gostar dela. Não tenho muita certeza se essa a era a ideia original, mas eu me vi completamente desapegada dela, mas eu torcia muito para que ela pisasse no freio quanto a tudo que estava acontecendo com ela e que ela pudesse ter um final feliz. Mas em certos momentos ela era terrivelmente vazia em algumas coisas e eu de verdade, não consegui mais sentir nada por ela.

O transtorno de Beck é bem mais físico do que de verdade um transtorno de personalidade, mas igualmente perigoso não importando de onde você olhe. Ele lava as mãos até que elas sangrem e tem um vicio em academia de malhar todos os dias até a exaustão. Cheio de traumas por causa principalmente de relacionamentos, ele também esta se tratando e por um acaso da vida, ele e Bea se conhecem e estranheza no relacionamento deles é palpável, já que ele lava as mãos mais de 8 vezes sempre depois de cada beijo e Bea ainda persegue caras por ai quando ele esta em casa, os dois tem muito ainda a crescer em vários sentidos e encontrarem uma maneira de passarem por cima de seus TOCs para poderem ter uma vida, ao meu ponto de vista, mais saudável e não normal, porque, mesmo com essas singularidades, eles ainda são apenas adolescentes e ser adolescente ja é estranho por si só, e vários transtornos não ajudam muito.

"Eu juro, se conseguisse me controlar e não dizer essas coisas, eu o faria. Mas se não disser as coisas que surgem na minha cabeça, elas poderiam comer minhas entranhas ou eu seria condenada ao inferno por desonestidade, então não posso correr o risco."

Apesar da leitura não ter me agradado, ele também teve seus pontos positivos isso eu não posso negar, mas em questão de sair por ai dizendo que foi uma leitura incrível, eu não senti nada disso e alem do que, quase na metade do livro, senti varias vezes que a autora estava de alguma forma correndo com a historia, e uma coisa que eu achei desnecessário, foi as paginas e paginas de diálogos intermináveis, chegava ao ponto de me deixar sem folego algum e eu ter que parar varias vezes para voltar a ler depois.

Bom gente, vou parar por aqui, principalmente porque eu não tenho mais nada a dizer e tem pizza também!
Beijos seus lindos e até logo =DD

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

#Reboot

Heeey lindos tudo beem?? Como esta a semana de vocês??
Gente da pra acreditar que amanha é meu aniversario e da minha Mãe?? HAUHUAHUA
Eu sempre fico ansiosa perto do meu aniversario olha q viadagem xD
Entãão, voltando ao assunto importante de verdade aqui, fazia tempo que eu não pegava nada de distopia para ler por motivo de, desde Jogos Vorazes, eu estava bem cansada delas.
Até tentei começar algumas, mas eu não consegui então apenas deixei passar e assim tem sido. Mas ai, eu por acaso peguei este livro e olha minha surpresa quando descobri que era uma distopia, e nossa ela foi um sopro de vida para eu voltar ao gênero porque foi realmente muuito boa a leitura.
Então, para vocês, uma surpresa e tanto: Reboot.


Autora: Amy Tintera
Editora: Galera Record

"Quando grande parte da população do Texas foi dizimada por um vírus, os seres humanos começaram a retornar da morte. Os Reboots eram mais fortes, mais rápidos e quase invencíveis. E esse foi o destino de Wren Connolly, conhecida como 178, a Reboot mais implacável da CRAH, a Corporação de Repovoamento e Avanço Humano. Como a mais forte, Wren pode escolher quem treinar, e sempre opta pelos Reboots de número mais alto, que têm maior potencial. No entanto, quando a nova leva de novatos chega à CRAH, um simples 22 chama sua atenção, e, a partir do momento que a convivência com o novato faz com que ela comece a questionar a própria vida, a realidade dos reinicializados começa a mudar."

Eu admito que quando eu comecei esse livro, que até então eu não sabia que era uma distopia, eu logo de inicio pensei "lá vem os triângulos amorosos em meio ao caos", e ai logo de cara eu levei um trapa na cara porque, apensar do cenário clássico de desordem e ruínas, temos a ausência do triangulo amoroso e mais impressionante ainda, não temos uma heroína com problemas psicológicos por traumas do passado nem nada de relutante em meio as circunstancias, temos uma garota que não é mais que uma casca com emoções diminutas e completamente a vontade em sua situação atual.

Os Reboots, nada mais são que crianças e jovens até os 18 anos, que morreram, mas graças a uma nova tecnologia desenvolvida pela CRAH (Corporação de Reaproveitamento e Avanço Humano) são trazidas de volta dos mortos e partir dai trinadas para serem as armas perfeitas e serem o braço direito da cooperação em suas missões no terreno hostil e altamente perigoso que se encontra a cidade do Texas agora, e apos serem trazidas de volta a vida, as crianças recebem uma numeração de acordo com o tempo que levaram para acordarem, sendo que são assim dividas entre -60 a numeração mais baixa e mais proxio do que seria um humano normal, os 90, que já são mais letais e finalmente os +120 que são os de numeração mais alta e os mais temidos, já que neste estagio, as emoções e eles são armas letais de todas as maneiras.

"Mas, aos 12 anos, quando acordei na Sala dos Mortos do hospital, 178 minutos depois de levar tres tiros no peito, eu gritei."

Wren Connolly, a 178 é conhecia e temida por todos a sua volta, por ser a reboot perfeita. Ela é a caçadora mais letal em combate e nunca perdeu uma unica vez quando recebe qualquer missão, seja capturar humanos outros reboots. Sua fama vem principalmente pela sua numeração. Isso porque nunca antes um reboot teve um numero tão alto quando reanimado.
Com mais do que algumas doses de sentimentos, ela é ainda mais letal, já que as emoções dela desapareceram junto com sua vida humana e ela esta bem com isso, e para o tipo de missão que ela recebe, culpa e tristeza é inadequado e indesejado.

Eu gostei bastante de como a Wren foi trabalhada, porque de inicio, ela realmente é uma criatura desprovida de emoção, e isso é perceptível porque apensar de todos terem nomes, ela os trata apenas pelas numerações, e apesar do convivo com outros iguais a ela, ela não se envolve em nada com nenhum deles. Ela também não esta nem ai para o que acontece fora da CRAH  e nem com o que eles fazem com os capturados em missões. Mas tudo isso muda quando, durante a escolha dos novos recrutas, ela acaba conhecendo o 22.

Callum Reyes, o 22 é o completo oposto de 178, e sua numeração baixa faz dele o mais humano entre todos ali, já que ele é o primeiro em anos de numeração menor que 30.
Por algum motivo, Wren escolhe Callum para poder treina-lo e acaba se apegando a ele e pouco a pouco, o convivo entre eles trás de volta algumas percepções mais humanas e em pouco tempo as coisas mudam completamente para dos dois, já que como Callum não esta respondendo bem ao treinamento e desafiando as ordem em campo, mais um erro dele e ele era morto, e eles exigem que Wren deem o tiro final nele.

"Callum pegou minha mão ao se levantar, uma ponta de alívio em seu rosto. Ele acreditava em mim. Tentei sorrir como se eu também acreditasse.

Em meio a tudo isso, uma coisa estranha esta acontecendo no setor onde moram os -60. Muitos estão agindo de forma estranha e depois de um ataque no refeitório, perguntas começam a surgir, entre elas é o que esta sendo feito durante a noite com os -60 e o que são as injeções que eles tem tomado.


É um livro carregado de tensão e eu gostei bastante do enredo dele. Com um final que pareceu meio corrido, eu espero poder ver a continuação me breve e que a autora consiga manter o ritmo da historia. 
Alguns pontos chaves também ficaram meio a deriva, mas eu estou esperando ansiosa pelas respostas.

E é só por hoje seus lindos.
Bjoos <33
#Lih_maria

domingo, 9 de agosto de 2015

#Tubarão

Oiii seus lindos tudo bem?? Como vocês estão??
Aproveitando o pós almoço aqui em casa do dia dos Pais pra poder fazer a resenha de hoje, por motivos de, este é um dos filmes favoritos do meu Pai, e me lembro de assistir junto com ele quando era pequena, e sempre que passa nos ainda assistimos juntos!
Então quando eu comprei o livro, claro ele foi a primeira pessoa que leu e eu escolhi hoje como uma pequena homenagem para meu Pai, e também desejo feliz dia dos Pais a todos os pais, padrastos, avôs e mães que fazem o papel de pai!
E então para vocês: Tubarão 


Titulo Original: Jaws
Autor: Peter Benchley
Editora: DarkSide

"Você não está vendo, mas ele está lá no fundo, observando suas pernas se mexerem nas águas turvas. A mais perfeita máquina assassina da natureza, o predador que mantém seu posto no topo da cadeia alimentar desde a época dos dinossauros. Um torpedo de carne, ossos e dentes. Não há para onde fugir. Se você sempre devorou livros, chegou a hora da revanche.

TUBARÃO é o clássico romance de Peter Benchley que deu origem ao primeiro blockbuster de Steven Spielberg. Mas, mesmo antes do sucesso na telona, o frenesi alimentar de Jaws se transformou num fenômeno de vendas. O best-seller internacional foi o principal responsável em elevar a fera de barbatanas dorsais ao status de perfeita encarnação do mal. Se já existiu um bicho-papão na natureza, ele está dentro d’água.

A história se passa em Amity, um balneário ficcional situado em Long Island, Nova York. Quando o corpo de uma turista é encontrado na praia o chefe de polícia Martin Brody ordena o fechamento das praias da região. Mas o prefeito Larry Vaughan, mais preocupado com o dinheiro dos veranistas, consegue abafar a notícia e libera o banho de mar na cidade. O banquete está servido.
O impacto dessa obra pop foi tão violento, que gerações passaram a pensar duas vezes antes de cair no mar. O resultado, além das intermináveis semanas do tubarão na TV a cabo, foi a perseguição desenfreada a esses peixes de dentes afiados. Benchley se tornou um ativista contra a matança indiscriminada dos tubarões."


Eu sei que a maioria já leu o titulo a resenha cantando a clássica musica do filme Tubarão, e admito que sempre que eu pegava pra ler eu já  abri o livro cantando também.
Mas logo nas primeiras paginas já se percebe as diferenças entre livro e filme.
Para começo de conversa, eu quando soube que a DarkSide ia lançar o Tubarão, eu não sabia de inicio que era um livro, eu achava que era como o livro dos Goonies, que é um roteiro de filme original adaptado para livro. 
Com uma diagramação incrível e uma atenção aos  detalhes, temos mais um livro que é por si só uma obra de arte trazida pela DarkSide.
Uma outra surpresa também foi a quantidade de pesquisas que o Peter Benchley fez para poder escrever o livro e logo de cara eu me identifiquei com ele porque ele também é um apaixonado pelos tubarões e seus mistérios. 
Quando eu fiz biologia, lembro perfeitamente do meu Professor passar horas e hora falando sobre como são incríveis os tubarões e como ainda sabemos muito pouco sobre eles.

Sobre o livro, logo de cara percebemos que, tirando os nomes dos personagens, as praias e claro, um Tubarão colocando terror nas pessoas, percebemos que as semelhanças param ai.
Para começar, apesar do panico que o terrível tubarão causa e suas vitimas, logo vemos que ele é o menor dos problemas, e que existe uma ameaça bem mais próxima do que um monstro nas águas calmas de uma praia.
O  chefe de policia da pacata cidade praiana de Amity, Martin Brody acaba de ser chamado para investigar o desaparecimento de uma moça apos uma festa a beira da praia, mas o que ele encontra da pobre mulher são apenas alguns pedaços e logo fica claro que não foi uma pessoa que fez aquele estrago, e a praia passa a se tornar uma armadilha, já que a ameaça de um tubarão se torna clara.

"Emaranhados no monte de algas estavam a cabeça de uma mulher, ainda presa aos ombros, parte de um braço e cerca de um terço do tronco."

Mas as coisas ficam complicadas para Martin, porque apensar do perigo iminente dos ataques de tubarão, o prefeito da cidade, Larry Vaughan se recusa a fechar as praias e resolve que nenhuma informação sobre o ataque deve ser passada e tudo ocultado.
É ai então percebemos que a pacata cidadezinha, que sobrevive das temporadas de veraneio, existem problemas muito maiores do que todos pensavam.
E é quando a decisão de manter as praias abertas acaba por gerar mais vitimas, desta vez um dos preciosos turistas, as coisas ficam ainda mais complicadas e a decisão final é simples, eliminar o tubarão. Mas ao que parece, o estrago já foi feito e as coias na cidade começam a sair do controle e ameaças são feitas por todos os lados.


Nós temos aqui uma cidade em que todos estão acostumados ao marasmo e ter este pequeno momento de grandeza quando chega as altas temporadas, mas que nunca s peguntou o poque de de repente os preços dos imobiliários ficaram tão altos e uma crise parece estar batendo a porta de todos, mas ninguém e atreve a perguntar o porque.
Em meio a tudo isso, temos também a esposa de Martin, Ellen, que assim como a cidade, vive das lembranças de verão, antes de seu casamento, sua vida de menina rica e sempre nas temporadas, vive do que Martin chama de "humor de verão", já que ela pega por uma melancolia e se torna desgostosa com suas escolhas. Mas tudo parece mudar, quando o biólogo marinho, convidado por seu marido, Matt Hooper, volta para cidade, ela sente um novo sopro de vida, em meio ao seu próprio desespero de ter a chance de voltar ao seu passado mais uma vez.

Como da pra perceber, no livro, o ultimo dos problemas é de verdade o tubarão, mas ele é uma peça fundamental em tudo isso, já que graças a ele, verdades são reveladas, mascaram começam a cair e vidas são ameaças por causa da ganancia de pessoas que deveriam proteger a cidade.
Mas não pensem que ele deixa de ser uma espécie de fantasma no livro, tendo descrições incríveis sobre seus ataques, e algo como se estivéssemos assistindo a uma cena de documentário sobre seus ataques, sempre que ele aparecia, uma onde de nervosismo me atingia, e eu queria gritar para as pessoas saírem da água o mais rápido que elas conseguissem.

"O peixe moveu-se para fora do campo de visão de Hooper - um borrão fantasmagórico cinza-prateado formando lentamente um círculo"

Sobre comparações entre livro e filme, eu recomendo os dois por igual, porque os dois a sua maneira são clássicos e merecem total atenção.
Com feitos incríveis para o ano de lançamento, já que o filme é de 1975, temos um tubarão tão bem feito que algumas pessoas realmente acreditaram que um monstro gigantesco poderia estar a solta por ai e que um de verdade foi morto durante as filmagens do filme.
Então, o que ganhamos com o lançamento do livro aqui, foi um clássico que todo mundo deveria ter a oportunidade de conhecer e descobrir que os mistérios embaixo d'água as vezes não são nada com os segredos em terra firme


Beijos seus lindos e até a próxima =DD
E fiquem de olho em barbatanas nas águas em ;DD
#Lih_maria

domingo, 2 de agosto de 2015

#Memorias de uma Gueixa

Heeeey seus lindos tudo bem?? Como estão?? E olha só, entramos já no mês de Agosto da pra acreditar??
Mas falando seriamente, cansei desse ano já! passou da hora de começar 2016 já!!
Enfim, sobre o livro de hoje, eu sempre fui apaixonada pelo filme dele, porque convenhamos ele é um delete de cores e personagens, sem falar que ele é um pequeno retrato de  algo que sempre esteve na imaginação de muitos e já teve até em letra de musica, mas nunca tinha de verdade procurado muito sobre o assusto, só sabia que na época que foi lançado o filme gerou uma certa polemica por diferentes motivos, mas eu deixei para lá.
Quando soube do relançamento desde livro eu fiquei animada para poder descobrir o que mais tem por trás de tanta polemica em um único filme. E lendo, o que eu descobri foi um universo totalmente a aparte dentro de uma cultura cheia de tradições e uma historia tão rica que eu leve algum tempo pra simplesmente parar e pensar sobre tudo que eu aprendi.
Então aqui temos hoje, a resenha de: Memorias de uma Gueixa.

Titulo Original: Memories of a geisha
Autor: Arthur Golden
Editora: Arqueiro

"Olhos cinza-azulados. Muita água em sua personalidade, é o que diz a tradição japonesa. A água que sempre encontra fendas onde se infiltrar, cujo destino não pode ser detido. Assim é Sayuri, uma das gueixas mais famosas de Gion, o principal distrito dessa arte milenar em Kioto. Com um olhar, ela é capaz de seduzir. Com uma dança, ela deixa os homens a seus pés. O que ninguém sabe é que, por trás da gueixa de sucesso, há um passado de perdas e desilusões de uma mulher que, desde o dia em que o pai a vendeu como escrava, fez cada uma de suas escolhas motivada pelo amor ao único homem que lhe estendeu a mão. Neste livro acompanhamos sua transformação enquanto ela deixa para trás a infância no vilarejo pobre e aprende a rigorosa arte de ser uma gueixa: dança e música, quimonos e maquiagens; como servir o chá de modo a revelar apenas um vislumbre da parte interna do pulso; como sobreviver num mundo onde o que conta são as aparências, onde a virgindade de uma menina é leiloada, onde o amor é considerado uma ilusão. Já idosa, vivendo nos Estados Unidos, ela narra suas memórias com a sabedoria de quem teve uma vida longa e o lirismo de quem soube encontrar nela seu lado mais doce. Neste relato único, que reúne romance, erotismo e, muitas vezes, a dura realidade, Arthur Golden desenvolve uma escrita refinada e dá voz a uma personagem instigante e humana que conquistou milhões de leitores em todo o mundo."

Antes de mais anda, confesso que sempre acreditei que o livro e o filme, apensar de chamar memorias, não passava de um romance muito bem escrito sobre alguma viagem ou alguma coisa assim que nós sempre vemos por ai. Mas ai foi o meu primeiro erro.
Este livro realmente é um arquivo de memorias da própria gueixa Sayuri, mas o livro não tem nome dela, porque na verdade, ela narrou toda a historia dela para o Arthur Golden quando ela estava morando nos Estados Unidos e resolveu por fim abrir as portas a um mundo secreto até então.

O que nós ganhamos então, foi um livro de uma intensidade surpreendente e um monte costumes e tradições que são ao mesmo tempo chocantes e de uma beleza rara de saber que realmente existiram pessoas que viviam sobre códigos tão sagrados entre elas que enquanto Sayuri nos revela algumas coisas, acaba se tornando quase que um capitulo inteiro apenas as explicações do porque e como era feito.

Sayuri Nitta, antes chamada Chiyo Sakamoto tem sua vida mudada para sempre, apos sua mãe ficar terrivelmente doente e seu pai, assombrado já pela morte da esposa anterior, aceita a proposta de um homem rico de vender suas duas filhas, Chyio e sua irmã Satsu, para que elas então tenham uma nova vida. 
Elas então quado chegam a Kioto, são separadas e Chyio, graças a raridade de seus olhos acinzentados e uma beleza diferente aos padrões normais, é entregue a okiya, onde ela é inserida ao mundo das gueixas.

"Nos anos que se passaram desde então, fui chamada de linda mais vezes do que posso recordar. Embora gueixas sejam sempre lindas, mesmo as que não são. Mas quando o Sr. Tanaka o disse para mim, de eu ouvir isso como gueixa, quase acreditei que era verdade."

O inicio da vida de Chyio dentre deste mundo que até então ela acreditava ser apenas um mundo de muita beleza é bem mais  difícil do que ela creditava, cheio de normas e que cada erro é severamente punido, e em um lugar onde a beleza é algo que pode ser essencial, também gera muita inveja e é fácil criar inimigas. E nenhuma é pior que sua rival, desde o momento que colocou os pés na okiya pela primeira vez, do que a mais popular das gueixas da época, Hatsumomo.

A vida de Chiyo parece perde o rumo, apos uma tentativa de fuga que acabou dando errado e ela não tem mais a permissão de aprender para se tornar uma gueixa, mas então, quando ela completa 12 anos, ela tem mais uma vez o rumo de sua vida modificada, quando apo seu coração bater mais forte por um homem desconhecido, ela percebe que a vida de uma criada  não é para ela e ela passa a ter a ambição de ser uma gueixa. As coisas não tão fáceis assim, mas com uma ajuda que parece enviada dos céus para ela, finalmente ela tem permissão de voltar as aulas e tem um proposito feito em uma aposta: que aos 20 anos, ela sera a gueixa mais famosa de Kioto.
Em poco tempo, nós podemos acompanhar o fim da infância de Chyio, quando ela deixa de ser a pequena filha de um pescador em uma cidadezinha que ninguém liga, para uma moça cuja beleza só aumenta e ela se torna muito mais madura do que sua pouca idade aparenta. 

"Eu sabia que a pessoa ajoelhada diante da mesa de maquiagem era eu, mas, ao mesmo tempo, aquela menina encarava uma estranha. Cheguei a estender a mão para toca-lá e fiquei espantada com o frio vidro entre nós."



Olhando assim, parece que as cosas foram fáceis, mas a grande verdade é que, antes de se tornar realmente uma das mais famosas gueixas no mundo, a agora batizada de Sayuri, passou por incontáveis aulas, desde aulas de musica como canto a instrumentos diferentes, como também por aulas de dança e posturas e técnicas apropriadas para diversas cerimonias e até mesmo aulas de etiqueta e bons modos. Tudo é claro, sobre olhares atentos de professoras severas e punições  inimagináveis e extremamente dolorosas. Vemos também um mundo de estica que apensar de extremamente belo, eram de longe algo confortável e as vezes até mesmo pouco higiênico. É também um mundo cheio de superstições e misticismo.

Mas a verdade é que em poucas paginas, assim como os homens de negócios aos quais as gueixas serviam, em poucas paginas nos vemos seduzidos por algo totalmente único e de uma beleza que ultrapassa o limite da imaginação, e então vemos que toda dor e sofrimento é compensada pelo belissimo resultado final que temos e somos presenteados com uma historia fascinante, onde todo romance parece ser apenas um tesouro de uma noite, as vezes a paixão pode ultrapassar os limites da tradição e a beleza esta na força de vontade para poder lutar por seus sonhos.

A narrativa de Sayuri é tão delicada e ao mesmo tempo tão cheia de filosofias, que se torna poética, e a atenção a cada pequeno detalhe torna tudo ainda mais rico. Ela é de uma inteligencia aguçada e uma visão de tudo que é totalmente diferente do que estava acostumada que eu fiquei verdadeiramente impressionada.

Logo que terminei o livro eu entendi então, o que tinha lido no prefacio escrito pelo próprio autor, que nos conta sobre a honra que foi ouvir a própria Sayuri contar sobre sua vida tão inusitada, que ela tinha uma magnitude que foi a experiencia mais incrível da vida dele em anos como historiador, e que ele tinha gravado as entrevistas para poder poder escrever palavra por palavra igual ao narrado, e que anos apos a morte dela, ele ainda colocava ao gravador para tocar só pelo prazer de ouvir a voz dela. Eu senti muita inveja dele, pois eu também adoraria ter a honra de ouvir a historia contada por ela própria.
Mas em troca, o que eu ganhei foi a honra de uma historia enriquecedora e uma admiração por mulheres que levaram a arte a um novo tipo de espetáculo.

Bjos seus lindos  e até logo seus lindos <33
#Lih_maria

quinta-feira, 30 de julho de 2015

#O Príncipe de Westeros e Outras Historias

Heeeey seus lindos tudo bem?? Se preparando para o fim de semana já né?? =DD
Eu finalmente vou trocar meus óculos e em breve vou estar enxergando tipo Super Homem \O/
Mas então, voltando ao assunto principal mesmo, eu trago mais um livro da maratona que eu coloquei na minha lista, que na verdade eu não tinha escolhido, mas ai acabou que uma amiga minha quando eu mandei a foto do que tinha conseguido falou tantas horas na minha orelha que resolvi colocar ele então no quesito escolhido por um amigo!
Então para vocês: O Príncipe de Westeros e Outras Historias.


Titulo Original: Rogues
Autor: George R. R. Martin e convidados;
Organizado por: Gardner Dozois
Editora: Saída de Emergência

Sinopse: "Um livro fascinante que reúne os melhores contos de grandes nomes da literatura fantástica. Inclui uma nova história de A Guerra dos Tronos, de George R. R. Martin.
Se você é fã de literatura fantástica, irá se deliciar com esta antologia de contos organizada por George R. R. Martin e Gardner Dozois.
Obras inéditas dos melhores autores do gênero irão surpreendê-lo com enredos ardilosos e reviravoltas intrigantes. O próprio George R. R. Martin apresenta uma nova história do apaixonante e violento mundo de A Guerra dos Tronos, introduzindo um dos personagens mais canalhas da história de Westeros.
Acompanhe grandes autores, como Gillian Flynn, Neil Gaiman, Patrick Rothfuss, Scott Lynch e muitos outros, nesta coleção de histórias emocionantes sobre vigaristas, mercenários e ladrões."


Primeiro de tudo, eu tenho que dizer que em matéria de originalidade de conteúdo, este livro esta de parabéns!
Não apenas por reunido autores de estilos totalmente diferentes e todos eles colocados juntos com o mesmo tipo de personagem principal em diferentes contos e ambientes onde eles acontecem. Todos os carismáticos protagonistas são aqueles que roubam beijos de pobres mocinhas, mentem descaradamente para alcançar seus objetivos, rompem corações por onde passam, são bons de mais para serem vilões mas são ruins de mais para serem tratados como mocinhos, os grandes causadores de confusões e que geralmente são personagens secundários, mas que facilmente se tornam favoritos: os canalhas.

Uma coisa é claro que chama a atenção logo de cara é o nome do grande (sem piadas) George R. R. Martin logo em letras grandes na capa, mas acabou que ele depois que eu iniciei a leitura, se tornou apenas mais um grande nome em meio a outros e claro, os contos foram selecionados por ele e não podia ser uma seleção mais bem feita.
Uma curiosidade, é que o original possui 21 e não 10 contos, então acredito e assim espero podemos esperar um segundo livro vindo por ai!
                    

Bom, como eu disse, são 10 contos e cada um em algum lugar diferente, seja em reino magico, em meio a nazistas roubando grades obras de artes, profissionais em punheta (sim, profissional), cada conto tem uma personalidade própria e são bem fechados em começo meio e fim e como eu também disse, todos os personagens estão reunidos aqui, porque passam longe de ser mocinhas indefesas e galantes mocinhos. 

Claro que eu tive contos que gostei mais do que outros e então eu vou falar dos dois contos que eu mais gostei!
O primeiro é passado em um mundo cheio de criaturas magicas e até inusitadas que beiram o absurdo como o Povo Cogumelo e um senhor Elefante, do sempre criativo Neil Gaiman: Como o Marquês Recuperou seu Casaco.
Neste conto, o Marquês de Carabas teve seu item mais precioso roubado por m Reverendo: seu casaco.
Mas claro que não é um casaco comum. É o acasaco de alta costura, e o que o torna tão especial são seus bolsos, os bolsos são colocados em lugares diferentes do casaco, alguns bolsos com seus próprios bolsos e bolso secretos até para o próprio Marquês. Claro que nestes bolsos estão escondidos todo tipo de coisa e ele não pode e dar o luxo de perdes este casaco. Ele então sai em busca dele e claro, sempre com um truque diferentes para conseguir reunir pistas e recuperar seu tão precioso casaco.

"O Marquês de Carabas sempre tinha um plano, e sempre tinha um plano B; e, por trás desses planos, sempre tinha um plano real, um que não deixaria nem ele mesmo saber, para quando o plano original e o plano B houvessem falhado."

Este é o conto de abertura e não podia ter iniciado melhor. Eu simplesmente fiquei impressionada coma capacidade que o Marquês tem de adorável mesmo quando esta escrita na testa dele que ele esta apenas usando as pessoas a sua volta para seu próprio bem.

O outro conto que eu gostei muito, e claro, foi quem fechou essa edição, foi o conto do próprio Martin, que para alegra dos fãs como eu de Cronicas de Gelo e Fogo, se passa em Westeros e tem como bero a família Targanyen: O Príncipe de Westeros ou O Irmão do Rei.
Aqui nos temos um canalha e do pior tipo, o extremamente ambicioso, alias extremamente ambicioso.
Daemon  é um cavaleiro excelente, mas os elogios podem parar por aqui. Ele passa grande parte do seu tempo afogado em bebidas e prostitutas e seu casamento esta em ruínas. Se não fosse só por isto, ele também não consegue permanecer muito tempo em nenhum dos cargos ao qual é colocado, ele já foi de Mão do Rei  a Mestre da Moeda e não teve sucesso em nenhum deles.
Mas não é que Daemon seja um fracassado, ele tem um alvo bem amor em sua vida e que ele fara de tudo e passara por cima de todos para chegar. O que ele quer é nada mais do que a Coroa e o Trono de Ferro.
O que nos temos aqui também é um spin off sobre a ruína dos Targanyen, e vemos o quando Daemon foi responsável por isto e o quanto a semente da caos estava implantada no meio dos Targanyen
Cheio de acontecimentos fascinantes e uma leitura de puro deleite, Martin nos presenteia com um pouco mais da casa mais famosa e mais misteriosa de todas e também mostra o quanto as ambições podem se tornar lendárias, seja pelo bem ou pelo mau que causaram .

"Era igualmente feito de luz e escuridão. Para alguns era herói, para outros, o mais terrivel vilão."

Eu só tenho elogios para este livro, e eu de coração espero que os outros contos sejam publicados, porque, convenhamos, quem de vocês leitores nunca se viu gostando de um canalha em algum livro??

Existem vários espalhados em paginas por ai, e eles vão continuar encantando a cada pagina ou se tornando aquele personagem que você odeia, mas não para de pensar deles.
Ahh pausa também para dizer o quanto ficou linda a diagramação do livro e tudo nele foi muito bem feito.
Simplesmente estou apaixonada por ele.
Só por hoje seus lindos =DD
Bjos e até breve o/
#Lih_maria
PS: gifs de o Clube dos 5 porque eu acabei de rever <33