terça-feira, 3 de maio de 2016

#Simon Vs. A Agenda Homo Sapiens

Heey seus lindos tudo bem?? Como passaram fim de semana?? E o resto do mês também??
Eu sei, eu sei, estou sumida, mas olha eu aqui de volta..atrasada mas aqui!!
Enfiim, bora pra resenha de hoje, que na verdade foi feita em parceria com a Carol do My Livro Preferido, então, ela esta postada aqui e lá também \O/
Com vocês: Simon Vs. A Agenda Homo Sapiens

Titulo Original: Simon vs. the homo sapiens agenda
Autora: Becky Albertalli
Editora: Intrínseca

"Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte.
Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar.
Agora, o adolescente avesso a mudanças precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu.
Uma história que trata com naturalidade e bom humor de questões delicadas, explorando a difícil tarefa que é amadurecer e as mudanças e os dilemas pelos quais todos nós, adolescentes ou não, precisamos enfrentar para nos encontrarmos."


Nossa... Este livro tem tantas coisas para falar sobre as emoções do personagem principal e eu não sei o que dizer! 

Simon Vs. A Agenda Homo Sapiens nos lança na vida relativamente normal de Simon Spier. Simon ama comer Oreos, ouvindo Elliott Smith, fazendo referências a Harry Potter ... e aos meninos. Mas nem todo mundo sabe sobre essa última parte. Simon tem 16 anos e é gay, e a única pessoa que sabe disso é Blue. Blue é o pseudônimo de um menino - misterioso, na dele e preservado - da escola, que Simon tem conversado por email.

Devido a certos eventos (SEM SPOILERS), Simon está sendo chantageado, e agora ele tem que tentar manter Blue e ele no própio "armário". E Simon se apaixona por ele. 

O problema é, o que ele pode fazer sobre isso, quando Blue poderia ter passando por ele todos os dias na escola sem saber? E se ele já conhece o Blue?

Desde o começo fica aquele mistério para saber quem é o Blue. Me senti lendo os livros de mistérios/policial do Harlan Coben - onde fico tentando descobrir quem é o vilão e o mocinho -, mas acaba por ser outra coisa, completamente diferente, Blue não é bem aquela pessoa que mostra ser...  

"Ele falou sobre como você pode decorar os gestos de uma pessoa, mas nunca saber o que se passa dentro da cabeça dela. E ter a sensação de que todos somos como casas com aposentos enormes e pequenas janelas."

Existem outros personagens muito importantes para Simon, seus melhores amigos, Leah, Nick e Abby, que Simon sente vontade de falar o tempo todo sobre o seu segredo.

Não há grandes reviravoltas, nenhum drama maior, aventura ou morte. É simplesmente sobre Simon crescendo, tentando navegar no mundo da escola, família, amigos e a ele próprio. Como estamos em sua cabeça constantemente, vemos os julgamentos sobre as pessoas que ele faz, durante todo o tempo se preocupar em ser julgado. Mas isso é porque ele tem um caráter autêntico lutando para dar sentido de si mesmo tanto para ele, quanto para todo mundo. 
Eu também gostava de ver algo raro no YA: uma relação brilhante entre um adolescente e seus pais.

Já alerto que este livro é muito honesto e sem censura, então se você não está confortável com livros sobre personagens gays, então talvez este livro não é para você. Maaaas, se você não liga pra essas coisas e AMA livros assim, então eu definitivamente sugerir pegar este livro e devora-lo, pois ele está muito bem feito e lhe garanto muitos momentos adoráveis e um monte de risadas.

E é só por hoje amoores, é um livro que merece ser apreciado ao minimo e de uma sensibilidade que é impossivel não amar <33
Bjoos amoore e até breve!

terça-feira, 19 de abril de 2016

#O Senhor das Moscas

Heeey seus lindos tudo bem?? Como passaram de fim de semana??
Espero que tudo bem.
Então, aproveitando o clima politico que estamos vivendo, eu trago hoje para vocês a resenha de um livo extremamente marcante e de uma profundidade politica que, apesar de seu ano de publicação, ela pode ser facilmente identificada nos dias de hoje, e como estra especial, a autora da resenha d hoje é a Larissa, minha amiga e estudante de Relações Publicas e faz tempo que também queria falar sobre este livro.
Então, para vocês: O Senhor das Moscas
Título Original: Lord of the Flies

Autor: William Golding
Editora: Editora Objetiva Ltda

"Durante a Segunda Guerra Mundial, um avião cai numa ilha deserta, e seus únicos sobreviventes são um grupo de meninos em idade escolar. Eles descobrem os encantos desse refúgio tropical e, liderados por Ralph, procuram se organizar enquanto esperam um possível resgate. Mas aos poucos - e por seus próprios desígnios - esses garotos aparentemente inocentes transformam a ilha numa visceral disputa pelo pode, e sua selvageria rasga a fina superfície da civilidade, que mantinham como uma lembrança remota da vida em sociedade. Senhor das Moscas é um clássico moderno; um livro que retrata de maneira inigualável as áreas de sombra e escuridão da essência do ser humano."

O trecho acima é apenas a transcrição da pequena sinopse presente no livro, e confesso que ao lê-la pela primeira vez não compreendi muito bem o que o editor quis dizer com “retrata de maneira inigualável as áreas de sombra e escuridão da essência do ser humano”, mas após a leitura do livro e de muito tempo refletindo sobre o que acontece na história contada por um narrador onisciente, pude pensar melhor sobre isso.

"Como esperam ser salvos se não fazem primeiro o que tem de ser feito primeiro e não agem certo? 
Queremos ser salvos; e, sem dúvida, seremos salvos."

A narrativa começa pouco depois do acidente de avião, em que logo de cara somos apresentados à Ralph e Porquinho, cujo verdadeiro nome não foi revelado, ambos parecem dois meninos ingleses comuns de 12 anos, inclusive, Ralph já começa a interação num bullying com Porquinho legitimando seu apelido e rindo do menino. Nesse primeiro contato com os personagens, está praticamente explícito que alguns deles (os essenciais para a obra) e certos objetos possuem uma representação metafórica, Porquinho é claramente o menino inteligente que representa a razão. Os dois então saem em busca de outros possíveis sobreviventes quando Ralph encontra uma concha e, enquanto brinca de assoviar com ela, dá a Porquinho a ideia de produzir um som capaz de reunir os meninos que poderiam estar espalhados pela ilha, à medida que Ralph assovia, os meninos vão surgindo. A partir daí, somos apresentados a todo o grupo que estava presente no avião, os gêmeos Sam e Eric, Johnny, e vários outros cujos nomes não são citados, até porque a participação deles na obra é bem simbólica.

Pouco depois o grupo de Jack Merridew se junta aos meninos e não é preciso ser muito analítico para perceber a essência de Jack, sempre muito autoritário, intolerante e até violento com seus companheiros. Ralph e Jack são praticamente opostos, enquanto o primeiro quer curtir a ilha e aproveitar o tempo sem adultos por perto ao esperar pelo resgate (e ele realmente acredita que alguém sentirá a falta deles e virá resgatá-los) o segundo quer coordenar e planejar a vida na ilha porque de certa forma, não  acredita tanto quanto Ralph que serão salvos e, por isso, prefere se acostumar com essa nova condição. O grupo decide que é preciso um líder para organizar as tarefas, entre Ralph e Jack, a maioria vota em Ralph, a metáfora da democracia em pessoa, pois ele não é exatamente o exemplo Disney de bom menino e nem sempre faz o que é “bom” mas sempre age de acordo com a vontade da maioria no grupo. 

A primeira decisão de Ralph tomada como líder (é preciso abrir um parênteses aqui para ressaltar que a ideia foi do Porquinho, como sempre) é acender uma fogueira no ponto mais alto da ilha para que qualquer navio que passasse, pudesse ver a fumaça produzida pelo fogo. É interessante ressaltar que ao mesmo tempo em que os óculos do Porquinho são usados para fazer a fogueira, também representam um estado de legitimidade. O grupo de Jack passa a assumir função de caça e portanto, produção de alimentos. Porém, uma das metáforas mais significativas que caracterizam o totalitarismo representado pelo garoto, está presente no momento em que ele mata um porco selvagem, pois é como se ele estivesse perseguindo e matando a democracia (para quem prestou atenção quando falei do Ralph já consegue ter mais ou menos uma noção do que vai acontecer no desenrolar da história). A partir desse ponto já podemos ficar perplexos e atentos aos próximos acontecimentos. Tudo caminhava razoavelmente bem, sem grandes problemas ou impasses, até que  numa noite de vigia à fogueira, os gêmeos, Sam e Eric, avistam uma figura estranha que acreditam ser um monstro, dando origem à boatos que começam a desestabilizar o grupo. 

Um símbolo importante da história é o monstro que também parece habitar a ilha, esse “monstro” representa a propaganda e os boatos, o fato é que com o passar do tempo os meninos começam a desacreditar no resgate, à essa altura um dos meninos já havia desaparecido misteriosamente, e o medo assim como a insegurança passam a ser sentimentos frequentes dentro do grupo. Como maneira de se proteger do monstro, Porquinho sugere a construção de cabanas para se abrigarem e, embora fosse uma ótima ideia, acabou por ser o ponto de ruptura entre os grupos de Jack e Ralph.
Acho que não é preciso me aprofundar mais na história porque espero ter despertado um pouco da curiosidade de vocês sobre a obra. 

E é só por hje amores <33
Bjos e até breve!!
#Lih_maria e #Larissa

sábado, 9 de abril de 2016

#Artistas dos Ossos

Heey seus lindos tudo bem?? Como passaram a semana??
Eu ainda tenho mais uma semana de provas, mas passei aqui só pra deixar resenha nova pra vocês só porque não me aguentei, precisava muito dividir com vocês.
Um episodio da serie Asylum: Artistas dos Ossos.

Titulo Original: The bones artists 

Autora: Madeleine Roux
Editora: V&R

"Oliver é um adolescente que tenta economizar dinheiro para ingressar na faculdade e deixar para trás a loja de antiguidades de sua família. Mas para garantir seu sonho ele começa a trabalhar para uma organização sinistra, que se denomina “Artistas de Ossos”. Bem, mas dinheiro é dinheiro. Abrindo sepulturas e roubando ossos, ele aceita a missão pensando que isso seria uma fase momentânea, mas descobre que abandonar essa empreitada pode ter um custo muito alto, pois existem algumas dívidas que não podem ser pagas. Assim Artistas dos Ossos é um puzzle importante que faltava para os fãs da série Asylum."


Geeente, pra quem gosta de um bom suspense cheio de misticismo e aquela dose de terror puro mesmo, daqueles de causar calafrios, então tenho aqui em, menos de 100 paginas o livro certo.
Apesar de eu não ter lido a serie Asylum, não falta elogios pra ela e agora já sei que os livros estão na minha lista de desejados.
Com um enredo muito rápido e uma historia que em poucas paginas causa o medo e aquela sensação incrível pra quem ama um bom terror, sem falar que o cenário não podia ser mais perfeito.

Passado em Nova Orleans, Oliver acaba de receber a noticia que mais esperava, e que é sua saída de seguir nos negócios de antiquário de sua família e também conseguir iniciar uma vida. Mas existe um problema nos planos dele, que é a falta de dinheiro, então pensando em contornar essa situação sem precisar da ajuda de seu Pai, que seria totalmente contra essa ideia, ele e seu melhor amigo Micah, começam a fazer pequenos serviços para uma misteriosa mulher da cidade, que sempre tem os pedidos mais estranhos, mas já que o dinheiro é muito, porque recusar?

Mas não demora muito, as coisas ficam verdadeiramente assustadoras quando um novo pedido dela chega e os dois se veem dentro de uma tumba e a missão nada mais que roubar os ossos de um tumulo local!


E é ai que as coisas verdadeiramente saem do controle, já que ambos são vistos fazendo o serviço e agora Oliver esta tomado pela cupa pelo roubo e o pior, coisas ruins começam a acontecer com ele e Micah e começam a atingir todos ao redor deles.

O livro circula em torno deste mistério que é a verdadeira intenção dos Artistas dos Ossos e o porque do uso de ossos. Coisas verdadeiramente ruins acontecem e tudo parece mais uma grande punição quando Oliver finalmente decide dar um basta em tudo isso, mas também, parece que o dinheiro que ele recebeu antes tem seu preço a ser cobrado e tudo isso é feito de maneira assustadora.

Gente é um livro curtinho, então a resenha não da pra ser muito longa se não acabo com toda graça da leitura. Mas acreditem, se preparem para momentos de tensão.

E é só por hoje amoores!
Bjoos e até breve <33
#Lih_maria

terça-feira, 5 de abril de 2016

#Deserto de Ossos

Heey seus lindos tudo bem?? Como passaram Pascoa e tudo mais??
Geente sumida eu sei, mas olha eu de volta aqui \O/
E trazendo resenha novinha pra vocês, de um livro extremamente emocionante: Deserto de Ossos.

Titulo Original: The Sandcastle girls
Autor: Chris Bohjalian
Editora: Companhia Editora Nacional

"Em 1915, o massacre de milhares de armênios perpetrado pelos turcos tingiu para sempre as areias do deserto sírio com o sangue e os ossos de uma civilização inteira. Em meio a esse cenário desolador, Armen Petrosian, um jovem engenheiro armênio que perdeu a esposa e a filha, e Elizabeth Endicott, uma rica jovem americana, se apaixonam. Mas antes de assumir o que sentem, eles se separam quando Armen se alista no exército britânico e Elizabeth vai trabalhar como voluntária. Ambos testemunharão atrocidades que os marcarão para sempre antes que possam se reencontrar. Quase um século depois, às vésperas do centenário do genocídio, a neta do casal, Laura, embarca em uma jornada pela história de sua família, descobrindo uma história de amor, perda e um delicado segredo que ficou soterrado por gerações."

Uhnn, eu tenho uma relação de carinho e raiva desse livro. O carinho é pela historia de amor em meio a um evento histórico que grande parte nunca nem ao menos ouviu falar e que quando eu fui buscar mais sobre, achei tão pouca informação que não tinha como não ficar chateada.
E foi isso que me deixou bem brava com a leitura. Algumas coisa por falta justamente dessa informação ficou a deriva e acabou sendo uma leitura frustrante e enriquecedora ao mesmo tempo.

Passado durante a Primeira Guerra, no meio da areia do deserto, mais de um milhão e meio de pessoas morreram sem que ninguém tenha visto e todos armênios e enquanto temos dezenas de registros sobre as vitimas do Holocausto, dezenas de livros de historia contando sobre este evento, esse genocídio contro os armênios nunca ganhou destaque em lugar nenhum, a não ser nos descendentes deste massacre dos turcos contra principalmente, mulheres e crianças mortas no meio do deserto.

“A resposta curta para aquela primeira pergunta – Como um milhão e meio de pessoas morrem sem que ninguém saiba? - é realmente muito simples. Você as mata no meio do nada.”

O livro é narrado por Laura, que é neta de um dos sobreviventes do genocídio e ela intercala a historia com suas lembranças de infância e juventude tentando intender o que la nunca viu de verdade em uma unica aula de historia e o porque de sua família evitam este assunto.
Laura conta então a historia de seus avós, que ela só conheceu de verdade a historia deles pelas cartas que eles trocavam quando jovens e também pelos registros no diário de sua avó, que era americana e que em meio a guerra esta trabalhado como voluntaria para ajudar os armênios refugidos e acaba conhecendo um em especial que muda sua vida para sempre.

Elizabeth Endicott foi para Alepo com seu Pai, para ajudar como voluntaria em meio a guerra, mas mesmo assim, o numero de mortos só aumenta e o trabalho se torna cada vez mais e mais difícil, emocionalmente torturante e devastante para todos em volta. Ela também esta lá para poder ser uma testemunha ocular de todo o massacre e deve registrar cada atrocidade para poder ajudar a Instituição ao qual ela trabalha a arrecadar mais fundos para ajudar as pessoas.
Apesar de Elisabeth ser uma mulher forte, inteligente e de um coração incrível para ajudar as pessoas, varias vezes ela acaba se curvando a dor de tudo que esta acontecendo e é impossível não quebrar junto com ela, o que rendeu varias e varias lagrimas.
E apesar de tudo, ela acaba conhecendo alguém por quem seu coração ira bater mais forte e principalmente, ira salva-lo de diversas maneiras que ela nem faz ideia ainda.

“Enquanto ela sobe a escada escura para o seu quarto, acha interessante que o pai tenha considerado que a filha havia correspondido à atração que os soldados alemães pareciam ter sentido por ela. Mas até aí, talvez Elizabeth não devia estar surpresa. Eles eram altos e loiros. Ainda assim, a verdade era que ela não havia pensado muito naquela dupla. Ela havia pensado quase somente no armênio.”

Armen é um armênio sobrevivente, que é engenheiro e como sabe falar inglês, conseguiu ficar próximo aos soldados aliados. Ele esta cheio de cicatrizes por dentro e por fora também e esta em busca de qualquer maneira de vingança contra os turcos. E mais importante que isso, ele procura qualquer informação sobre o paradeiro de sua esposa e sua filha.
Armen é um personagem construído pela guerra, assombrado por tudo que ele viveu durante as lutas e depois com tudo que esta acontecendo com seu povo, ele agora vê sua cidade natal completamente destruída e transformada em uma cidade fantasma e esta assistindo seu povo ser completamente massacrado pelos turcos.

Quando Elizabeth e Armen se conhecem acabam se tornando amigos e parece inevitável o romance entre os dois, mas não fácil e muito menos um romance perfeito, já que ambos lutam contra fantasmas cridos pela guerra e mesmo assim, o amor é algo que ajuda os dois quando mais precisam.

Apesar de ser um livro de ficção, não deixa de ser cheio de verdades e detalhes sobre o massacre e algumas passagens são incrivelmente dolorosas d se acompanhar, principalmente quando são contadas por Hauton, que é uma criança sobrevivente e mais que isso, ela é uma testemunha de  tudo de mais terrível que aconteceu e mesmo assim ela se mostra muito mais forte do que sua aparência frágil mostra e ela conta sua visão de guerra por um olhar infantil e não podia ser mais tocante.

“- Uma caverna fora da cidade. Eles as conduzem para dentro e então fazem uma fogueira na entrada. As crianças morrem sufocadas lá dentro. […] Há pouco espaço no orfanato. E os turcos podem insistir que eles fechem, de qualquer jeito. […] Sim. Afinal, por que se preocupar em matar os adultos se você vai permitir que a próxima geração viva? Não faz sentido.”

É uma leitura extremamente reflexiva e emocionante e que prometo, ninguém vai se arrepender e com certeza vai querer saber mais sobre esta passagem histórica, que é tão claramente e tristemente ignorada.

E é só por hoje amores!
Bjoos e até breve!
#Lih_maria

segunda-feira, 21 de março de 2016

#E Se For Você?

Heeey seus lindos tudo bem?? Nossa quanto tempo!!
Eu ainda to me adequando ao tempo aqui, porque eu to cheia de cursos e sem tempo, mas to com algumas resenhas atrasadas e então, em breve acho que tem mais coisas novas por aqui \O/
Não desistam de mim <33
E hoje trago a resenha do livro que superou e muito todas as minhas expectativas e que foi uma surpresa extremamente divertida: E Se For Você?


Titulo Original: What If
Autora: Rebecca Donovan
Editora: Globo Alt

"Da autora best-seller Rebecca Donovan, uma história que prova que existe uma segunda chance para o amor.


Cal Logan e Nicole Bentley eram melhores amigos quando crianças, mas tudo mudou no ensino médio, depois que ela se enturmou com o pessoal mais popular da escola e passou a ignorá-lo. Eles se formaram e Cal foi estudar em Crenshaw, perto de Nova York, enquanto Nicole entrou em Harvard, realizando o grande sonho de seu pai.
Quando Cal vai passar as férias de verão em sua cidade natal, fica surpreso em saber que ninguém mais teve notícias dela desde que se mudaram, há mais de um ano.
Assim que as aulas na universidade recomeçam, ele cruza no campus com uma garota que é idêntica a Nicole, mas que se chama Nyelle Preston e tem uma personalidade completamente diferente: Nicole era tímida e insegura, enquanto Nyelle é impulsiva, ousada e só quer aproveitar a vida.

Enquanto tenta desvendar os segredos de Nyelle – afinal, ela é ou não Nicole? – Cal viverá com ela momentos inesquecíveis e apaixonantes, que aos poucos farão com que ele perceba que a identidade daquela garota misteriosa é o que menos importa.

Com uma narrativa envolvente e poética, Rebecca Donovan cria personagens cativantes que despertam diversos questionamentos e emoções: e se pudéssemos mudar de rumo? E, se nos permitíssemos apenas aproveitar o momento? E, se o amor for algo bem mais simples do que imaginamos?"


Sabe quando você começa o livro e acha que ele tem tudo para ser um clichê e acaba jogando você no chão??
Então, eis aqui um livro que só consigo explicar assim.
Este livro é sobre amizades e amores, e principalmente é sobre as pequenas segundas chances que a vida nos dá, e que precisamos mais delas do que pensamos. Temos aqui amizades de infância que sofreram com as reviravoltas que a vida tem e que quando menos esperavam, ela enviou sua segunda chance e era tudo que cada um deles precisava.

Cal Logan sempre foi o garoto magrelo da escola, e agora entrando  na faculdade, ele se tornou um garoto popular entre as meninas e ninguém nunca mais o chamou de apelido nenhum, mas mesmo assim, sua vida amorosa não vai bem, já que ele esta novamente dispensando uma garota antes mesmo de completarem um mês juntos. E pelo que parece, a maioria as garotas acaba com raiva dele. 
E no meio desse termino complicado, ele sem querer acaba conhecendo Nyelle Preston. Ou melhor, ele acaba reencontrando com alguém que é idêntica a sua antiga amiga de infância, que nunca mais falou com ele e desapareceu de sua vida anos atras, Nicole Bentley.
Porem, apesar da incrível semelhança e dos mesmos olhos, a personalidade não bate em nada com a recatada e fechada Nicole que ele conheceu, e aparentemente, Nyelle não faz a menor ideia de quem Cal é e nem nada do que aconteceu com eles.

"Estou olhando para os olhos azuis mais incríveis que já vi. São olhos que podem me manter parado aqui como um idiota, olhando para dentro deles a noite inteira. Eu sei porque já olhei para eles antes."

Eu simplesmente adoro livros com narrador sendo o garoto, porque é um ponto de vista totalmente diferente de uma garota falando, e muitas vezes eu dei risadas com os comentários de Cal sobre tudo ao seu redor. Ele é o tipico garoto que todo mundo deseja ter como amigo só pra conversar sobre qualquer coisa a qualquer momento e isso faz dele um dos meus personagens favoritos. 
Quando ao problema dele com garotas, ele ainda esta na contante busca por aquela garota que ele realmente ame, e isso porque em sua juventude ele tinha uma garota que ele gostava, alias, duas, mas as duas sumiram de sua vida sem nenhuma  explicação aparente e ele aprendeu a fechar seu coração para não ter mais que sofrer. E uma das coisas que eu mais gostei também, é da sua relação com sua melhor amiga Rae, que muitas vezes serve como voz da consciência dele e também um conta sempre com o outro não importa para o que.

"- Sua garota e se. Gosto disso.
- Minha o quê? - pergunto com a boca cheia de sanduíche.
- Sua garota e se. Você namora uma atras da outra para não sentir falta delas quando acaba, no caso de uma delas ser ela."

Nyelle Preston é uma verdadeira incógnita durante a leitura. Ela é uma garota totalmente singular, que mais parece um fantasma que aparece e desaparece quando bem lhe convêm e suas atitudes são bem fora do comum. Ela possui uma personalidade forte, faz as coisas que lhe dão vontade, mesmo que nem sempre sejam sensatas, como entrar em um barco furado em um lago congelado ou se jogar de um morro só pra saber como era e come toneladas de doces. Mas ainda assim, ela é uma pessoa incrível, que mesmo com tudo isso, ajuda as pessoas sempre que possivel.
Ela também é explosiva e não possui um filtro entre a cabeça dela e a boca, então ela sempre diz sempre o que acha independente se esta certo ou não.
E isso é algo que Cal logo de cara, percebeu que não tinha nada a ver com Nicole. 

"Mantendo meu olhar fixo naqueles olhos que eu decorei há tanto tempo, faço uma pergunta.

- Quem é Nyelle Preston?"

Nicole era uma menina extremamente tímida, retraída, com problemas familiares com grandes indícios de abuso, principalmente quando se trata do pai dela, mas mesmo assim, ela se viu tendo uma infância feliz ao lado de seus amigos no bairro onde morava. Principalmente, ela sempre pode contar com sua grande amiga Richelle, que sempre lhe deu todo apoio e foi a responsável por apresentar Nicole a seus amigos no bairro e também foi quem tirou Nicole da sua concha. 
Mas então, Richelle foi embora e com isso, Nicole se tornou a pessoa que seus pais sempre quiseram e foi quando tudo mudou na vida dela e de todos.


A relação de Nicole e Richelle é contada em flashbacks sobre a infância delas junto de Cal e Rae e que aos poucos vão fazendo todo sentido sobre o que aconteceu com eles, intercalando o que cada uma esta sentindo, mas sempre deixam alguma coisa faltando e quando nos aproximamos mais e mais sobre a verdade, é emocionalmente devastador e confesso que não deu para segurar as lagrimas sobre elas.

É uma leitura apaixonante, cheio de momentos fantásticos de profundidade emocional, e um romance que parece estar adormecido e aos poucos vai trazendo a verdade a luz e cada vez mais, eles vão mostrando como vão deixando de serem adolescentes pedidos entre festas e passam a viver a vida com seriedade e principalmente, vão um por um tomando decisões que são extremamente importantes.


E é só por hoje amoores <33
Bjoos e até breve!
#Lih_maria

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

#A Garota no Trem

Heeey seus lindos tudo bem?? Como foi a semana de vocês?? Espero que tudo bem =DD
Graças a uma crise de insonia ontem, eu dei inicio a uma das leituras que estavam na minha lista, e quando eu vi já tinha terminado a leitura e não consegui mesmo dormir, isso porque não conseguia parar de pensar neste livro.
Um thriller de fazer roer as unhas: A Garota no Trem!

Titulo Original: The Girl on the train
Autora: Paula Hawkins
Editora: Record

"Um thriller psicológico que vai mudar para sempre a maneira como você observa a vida das pessoas ao seu redor
 Todas as manhãs Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d’água, pontes e aconchegantes casas.
Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Jason –, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade Megan – está desaparecida.
Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos. 
Uma narrativa extremamente inteligente e repleta de reviravoltas, A garota no trem é um thriller digno de Hitchcock a ser compulsivamente devorado."

Eu ganhei esse livro de amigo secreto e como já estava com algumas leituras atrasadas eu coloquei ele mais pro final da lista pra espera, e como ontem eu não conseguia dormir nem com uma paulada, eu resolvi pegar ele pra poder estar dando uma lida em alguma coisa.
Quando era umas 4 da manha, eu já tinha terminado e ai que eu não conseguia dormir mesmo.
Com um enredo muito bem elaborado, que nos coloca por dentro da mente de seus personagens, é um thriller psicológico como a muito tempo eu não pegava para ler e nossa, ele realmente mexeu comigo. E agora eu entendo porque do frenesi quando ele foi lançado.

Rachel todos os dias faz o mesmo caminho de trem pelas manhãs mesmo que não precise mais. Ela foi demitida, mas para manter as aparências para sua colega de apartamento ela resolve continuar o mesmo horário e assim, conseguir manter a mentira por mais algum tempo. Rachel esta em uma depressão profunda, sofre de um alcoolismo severo, que desde o fim de seu casamento, que acabou porque ela descobriu a traição de seu marido em momento em que ela estava emocionalmente frágil, ela esta caminhando lentamente para a ruína de tudo e esta perdendo cada vez mais o controle de tudo.

"Perdi o controle sobre tudo, até sobre os lugares dentro da minha cabeça."

Em suas viagens de trem, Rachel passa a observar sempre o mesmo casal, que ela passa a chamar de Jess e Jason, e cria um apego sobre a vida deles e passa a imaginar o tipo de vida que eles levam. Um dos principais motivos de seu apego aos dois, é que eles são vizinhos da casa onde seu ex marido e sua nova esposa moram, que também era sua antiga casa. 
E em uma manhã, ela vê uma cena atípica em seu casal perfeito e ela novamente tem uma crise depois de se embriagar e por algum motivo, ela não consegue se lembrar do que aconteceu durante a noite, mas ela tem uma certeza, algo ligado a Jess e Jason aconteceu, e ela teme pelo pior, já que ela esta ferida e não faz a menor ideia do porque, e ela sabe que principalmente tem algo a ver coma  cena que ela viu de manhã.
E agora, as coisas estão prestes a mudar, pois ela descobre que Jess acaba de aparecer no noticiário. Ela desapareceu.

 Megan esta no meio de uma crise no casamento. Emocionalmente instável, em um casamento ao qual ela já não tem certeza se esta bem, já que por causa de acontecimentos anteriores, seu marido Scott, não tem confiança nela e passa a vigiar seu computador e suas mensagens, e ela esta agora se sentindo sufocada e cada vez mais ela tem o impulso de largar tudo isso para trás e desaparecer. 
Ela esta cada vez mais deprimida, mas ela agora, tem a chance de melhorar, já que ela começa um tratamento com um psicologo, mas não demora, e as coisas saem no controle e quando ela tenta concertar tudo, ela acaba sofrendo um ataque e então desaparece.

"Ele já não está mais rindo. 
Está vindo para cima de mim. E tem algo na mão."

Megan e Scott são na verdade, a Jess e Jason de Rachel, e sem querer, tem suas vidas interligadas por causa do desaparecimento de Megan, quando o nome de Rachel acaba aparecendo na investigação, por causa do que ela não consegue se lembrar na noite em que Megan despareceu, mas ela tem certeza de a culpa pode estar ligada a cena que ela viu naquela manhã enquanto ela estava no trem, e então, ela deixa de ser uma expectadora na vida deles, e passa a participar do que esta acontecendo. E conforme as lembranças vão conseguindo voltar, Rachel percebe que a verdade é bem pior do que ela imagina, e que alguns segredos são bem mais destrutíveis do que parecem.

Em meio a tudo isso, Anna esta tentando seguir sua vida, com uma filha pequena e seu marido, mas as coisas não são fáceis. 
A ex mulher de seu marido Tom, é uma presença contante em suas vidas, com ligações descontroladas de madrugada, e desde a noite em que ela foi atras de sua bebe, ela esta sempre em panico quando a encontra na rua.
E agora, ela acaba de descobrir que a antiga babá de sua filha esta desaparecida e estranhamente, nesta mesma noite, aconteceu um problema com a ex mulher de seu marido apareceu na porta de sua casa e estava descontrolada. Ela acredita que ela tenha algo a ver com o desaparecimento e mais que isso, ela quer que o fim das pertubações para voltar a viver uma vida perfeita.

Rachel, Anna e Megan são mulheres que acabam fazendo parte de um mesmo circulo, ligadas por algo em comum, que vai mais alem do emocional frágil de cada uma e também de pequenos detalhes que parecem de inicio sem importância, elas são personagens muito bem elaborados e que te prendem em seus pensamentos e a cada momento de tensão, elas acabam descobrindo mais e mais sobre elas mesmas. 

"Assim é a minha vida: desorganizada, ordinária, pequena."

Em meio a um desaparecimento sem respostas, outras verdades vão surgindo para cada uma delas e as linhas que as unem vão se aproximando mais e mais em uma teia de mentiras e medo, e quando chega no clímax final sobre o que realmente aconteceu com cada uma delas, é de arrepiar o corpo todo, mas antes disso, eu devo ter acabado com todas as minhas unhas e arrancado alguns fios de cabelo.

É um livro sensacional e com um final extremamente chocante, eu mais que recomendo para os fãs de um terror psicológico muito bem escrito e que com certeza, vai ficar na cabeça de vocês por algum tempo.

E é só por hoje seus lindos <33
Bjoos e até logo!!
#Lih_Maria

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

#Segredos de Uma Noite de Verão

Heey seus lindos tudo bem?? Cade todo mundo participando das promoções aqui em??
Então, participem que é lindo demais viiw!
Indo pra resenha de hoje, mais um romance de época e eu não preciso lembrar vocês que eu adoro né??
Na minha opinião, uma das melhores series de romances, o primeiro das Quatro Estações do Amor: Segredos de Uma Noite de Verão!

Titulo Original: Secrets of a Summer Night
Autora: Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro

"Apesar de sua beleza e de seus modos encantadores, Annabelle Peyton nunca foi tirada para dançar nos eventos da sociedade londrina. Como qualquer moça de sua idade, ela mantém as esperanças de encontrar alguém, mas, sem um dote para oferecer e vendo a família em situação difícil, amor é um luxo ao qual não pode se dar.

Certa noite, em um dos bailes da temporada, conhece outras três moças também cansadas de ver o tempo passar sem ninguém para dividir sua vida. Juntas, as quatro dão início a um plano: usar todo o seu charme e sua astúcia feminina para encontrar um marido para cada, começando por Annabelle.

No entanto, o admirador mais intrigante e persistente de Annabelle, o rico e poderoso Simon Hunt, não parece ter interesse em levá-la ao altar – apenas a prazeres irresistíveis em seu quarto. A jovem está decidida a rejeitar essa proposta, só que é cada vez mais difícil resistir à sedução do rapaz.

As amigas se esforçam para encontrar um pretendente mais apropriado para ela. Mas a tarefa se complica depois que, numa noite de verão, Annabelle se entrega aos beijos tentadores de Simon... e descobre que o amor é um jogo perigoso.

No primeiro livro da série As Quatro Estações do Amor, Annabelle sai em busca de um marido, mas encontra amizades verdadeiras e desejos intensos que ela jamais poderia imaginar."

Eu sou apaixonada pela escrita da Lisa, isso eu sempre admiti aqui, mas eu devo confessar que esta é minha serie favorita.
O original dela se chama The Wallflowers, que significa as floreios, que é uma referencia as meninas que durante os bailes de temporada, aqueles onde era apresentado as jovens moças a possíveis pretendentes, floreios eram as que nunca eram chamadas para dançar e que passavam a temporada sentadas em um canto, sem chamar atenção, como um enfeite. Ou seja, esta é uma serie onde temos quatro amigas que são as rejeitadas do baile, mas que ao invés de ficarem apenas sendo enfeites em um canto, elas resolvem juntas que vão conseguir um pretendente e mudar o destino certo de serem um grupo de solteironas.

“- Já ia explicar. Antes de que nos interrompessem, estava a ponto de fazer uma proposição: deveríamos fazer um pacto para ajudarmos umas às outras a encontrar marido. Se os homens adequados não vêm atrás de nós, seremos nós que os perseguiremos. O processo será muito mais eficaz se unirmos nossos esforços em lugar de lutar sozinhas."

Annabelle Peyton foi escolhida para ser a primeira a ser ajudada, afinal de contas, este é sua ultima temporada de bailes e as coisas estão ficando mais e mais complicadas. Apesar de levar uma vida razoavelmente boa, desde a morte de seu pai, ela e sua família estão cada vez mais em situação critica por conta das dividas e agora ela precisa desesperadamente de um marido rico para poder tirar sua Mãe das garras de um contador, que a esta usando para poder quitar as dividas. Então ela esta apostado todas as suas fichas nas mãos de suas amigas Lilian e Daisy, e a tímida Evie.

Eu gosto bastante da Annabelle e principalmente, gosto de ver ela interagindo com as outras meninas. Ela é a mais velha do grupo, e muitas vezes haje como se fosse uma irmã mais velha para todas elas e muitas vezes é conselheira e preceptora delas. Ela também é dona de um gênio forte e uma beleza impressionante, mas mesmo assim, os homens ficam longe dela, afinal, apesar de tudo, ela é uma beleza sem dote algum e isso acabou pra afastar qualquer possível pretendente. Não que na verdade ela ligue muito pra isso.
Ela passou um bom tempo desviando das chantagens abusivas do contador que se dizia amiga de seu Pai, ela passa a ter certo distanciamento dos homens.
O que ela não sabe, é que ela sempre teve um pretendente, mas por causa de acontecimentos passados, ela resolveu ficar o mais longe possivel dele, e este é ninguém menos que Simon Hunt.

“Ao encontrar de repente os olhos dele, aquela expressão fez com que o sangue de Annabelle fervesse nas veias. Ela já tinha visto admiração no rosto de outros homens, até chegou a perceber desejo, mas nenhum olhar tinha sido tão íntimo e perturbador quanto esse... Como se ele quisesse algo muito mais complicado do que simplesmente usar seu corpo.”

Simon é um home forte, de ambição, mas diferente de seus amigos, ele não é um nobre de berço de ouro, é na verdade o filho de um açougueiro, que graças a sua mente brilhante e investimentos ambiciosos, acabou se tornando um dos homens mais ricos e poderosos de Londres. Mas apesar das roupas caras e frequentar festas de circulo social refinado, ele ainda é um paria entre todos, afinal, ele ainda é apenas o filho de um açougueiro que subiu na vida. E isso parece ser uma alcunha que nunca vai perder.

Mas mesmo assim, Simon é um homem de amizades poderosas e ninguém se opõe ao que ele fala. Mas apesar de todo seu charme e poder, ele ainda recebe a negativa em suas investidas de Annabelle. Mas ele esta longe de se dar por vencido e com o tempo, fica claro que ele quer Annabelle para algo mais que apenas uma amante, como ele deixa a entender tempos atras, e esta disposto a acabar com seu jogo para arrumar pretendentes ricos.

Com momentos hilários como jogos em roupas intimas, picadas de cobras e troca de farpas, temos um romance na medida certa em varias coisas e simplesmente um dos meus favoritos.
E devo admitir que a caça a maridos delas é algo que deu algo único ao livro, já que as técnicas delas não são nem um pouco normais.
Então, fãs de romance de época, este é um prato cheio.

E é só por hoje seus lindos!!
Bjos e até breve <33
#Lih_maria