sábado, 12 de abril de 2014

#Filme: Hoje Eu Quero Voltar Sozinho

Heey lindos e lindas tudo bem??
Vamos fazer um post diferente hoje *-*
Bom é nosso primeiro post sobre um filme então prometemos não dar spoilers e perdoem se falarmos alguma bobagem viw XD

"Mas porque um post sobre um filme hoje??" 
Fácil, porque hoje fomos ao cinema e saímos de um filme nacional completamente apaixonadas e com todos no cinema sorrindo e chorando juntos (inclusive batendo palmas *_*), então achamos que seria muito legal explicar o porque =DD
Então primeira resenha de filme hoje, e do filme que foi originário de um curta de sucesso e polêmica!


Hoje Eu Quero Voltar Sozinho
Dirigido por: Daniel Ribeiro
Elenco: Ghilherme Lobo, Fabio Audi e Tess Amorim
Genero: Drama, romance
Sinopse: Leonardo (Guilherme Lobo), um adolescente cego, tenta lidar com a mãe super protetora ao mesmo tempo em que busca sua independência. Quando Gabriel (Fabio Audi) chega na cidade, novos sentimentos começam a surgir em Leonardo, fazendo com que ele descubra mais sobre si mesmo e sua sexualidade.  


Dizer que eu choramos é bobagem né?? Mas então vamos ao motivo das lagrimas né!
Este é um daqueles filmes que você assiste e fica um bom tempo pensando nele, por diversos motivos. Leonardo é o garoto cego da escola, enfrenta o bullyng de alguns colegas, a super proteção, principalmente por parte da sua mãe e tem dificuldades de se soltar com as outra pessoas. Apesar de tudo isso, ele tem seus próprios planos, e um deles é sair em viagem, mais como uma pequena fuga de tudo. Ele conta sempre com sua melhor amiga Giovana, que esta sempre com ele e ajudando nos momentos de dificuldades e é a pessoa mais próxima a ele então. 
Eis que um dia entra o aluno novo na escola, o garoto de outra cidade, Gabriel.
De inicio Gabriel parece a nova novidade na vida dos dois, mas aos poucos ele vai ganhando espaço cada vez maior no dia dia, principalmente de Leonardo, que acaba despertando sentimentos alem da amizade.
Gabriel é um dos que trata Leonardo como uma pessoa normal, o que gera algumas mancadas e momentos de descontração, já que ele esquece da condição visual de Leonardo, mas nada agressivo, apenas que ele trata Leonardo como um igual, independente se ele é cego ou não.
Giovana, Leonardo e Gabriel
É um filme muito sentimental, mas nada de melodramas intermináveis, temos cenas de sentimentos profundos muito rápidas e dinâmicas que não nos deixam perder o foco do que esta acontecendo. Temos também pontos de vistas de diversas maneiras, tudo de forma leve e muito expressiva, onde várias vezes ficamos arrepiada. Tudo é tratada de forma sutil e delicada, da forma simples como acontece qualquer amor na adolescência e suas descobertas. É realmente de deixar arrepiado, pois falas e gestos simples fizeram com que o cinema aplaudisse e suspirasse a cada cena inesperada. Fora que a trilha sonora é um caso a parte, coisa linda de Deus *_*, tudo se encaixava perfeitamente, no tom e na intensidade certa.   
Ele é tratado no ambiente escolar, então temos bastante do dia de adolescentes, com seus dramas pessoais, descobertas, bebidas, independência, conflitos emocionais, amores, amores não correspondido e tudo que a gente conhece muito bem de um dia em qualquer escola.
Bom eu disse que este era um filme que tinha gerado polêmica, e a principal polêmica é a sexualidade e relacionamento de Leonardo e Gabriel.
Bom, o filme gira em torno dos dois e de como Leonardo vai tratando a questão do que sente de verdade por Gabriel e aquela separação de onde termina a amizade e começa o amor de verdade. Tudo isso é mostrado em diversas cenas, algumas de conflito interno até o momento de assumir tudo isso e então a aceitação das pessoas próximas. Um dos problemas foi também pelo fato de Leonado ser cego, o que gerou diversas recusas sobre a aceitação dos curta, já que ele era passado em escolas, e poxa, gerou diversos tipos de preconceitos, afinal, um garoto cego e gay?? O preconceito ficou bem aparente em diversos momentos, dentro e fora do cinema. Então o curta foi proibido em alguns lugares de ser passado nas escolas como vídeo de edução com temática de inclusão social e questões de preconceito não teve sua exibição bem aceita. Complicado, mas é verdade.

Mas apensar de tudo isso, o diretor Daniel Ribeiro teve seu projeto parabenizado por diversos países e ganhou diversos prêmios de cinema internacional como Fipresci de Melhor Filme e Teddy Award no Festival de Berlim, e então ele conseguiu transformar o curta em longa brilhante e que mesmo assim está em poucas salas de cinema e em pouquíssimos horários. Uma coisa que nos deixou muito chateadas também, foi que para atrair a atenção de quem não conhecia o curta nem nada sobre o filme, foi decidido que seriam lançados cartazes com o titulo do filme em inglês, afinal, infelizmente o cinema nacional ainda enfrenta uma dificuldade muito grande de público, mas o que é de fora, vende.
Booom eu espero de verdade que vocês tenham gostado =DD
E como somos pessoas dotadas de um coração muito bom, deixamos para vocês o curta original para que vocês criem suas próprias decisões e torcemos muito para que vocês vão prestigiar este filme que merece todo nosso carinho <33
Um ótimo fim de semana para vocês seus lindos <33
Bjoos 
#Lih_Maria/ Ana Paula

quarta-feira, 9 de abril de 2014

#Mate-me Por Favor

Heey lindos e lindas tudo bem??
Como esta a semana de vocês??
Bom resenha de hoje de um livro bem diferente e quem me apresentou ele foi a minha irmã, então meio que dedicado a ela!
Só meio porque ela é baixinha #apanha xD 

Mate-me Por Favor - Uma historia sem censura do Punk - Vol. 1
Titulo Original: Please kill me
Autor: Legs McNeil & Gillian McCain
Editora: L&PM Pocket

Sinopse: Esta é a história definitiva e nunca antes contada sobre os anos 70 e a Blank Generation. Narrando o nascimento do qe hoje se chama punk, desde a Factory de Andy Warhol até o Max’s Kansas City nos anos 60 e 70, chegando ao Reino Unido nos anos 80, os autores, Legs McNeil – que cunhou o termo punk – e Gilliam McCain, apresentam a explosiva história do mais incompreendido fenômeno pop. Fluentemente, construído a partir de um coro de vozes, Mate-me, por favor é uma história oral que possui todo o ritmo narrativo e a excitação de um romance.
Em centenas de entrevistas com todos os personagens originais, incluindo Iggy Pop, Patti Smith, Dee Dee e Joey Ramone, Debbie Harry, Nico, Wayne Kramer, Danny Fields, Richard Hell e Malcolm MacLaren, penetra-se nos camarins e nos apartamentos para reviver o que começou nas entranhas de Nova York como uma pequena cena artística e se tornou um verdadeiro momento revolucionário da música. Mate-me, por favor começa quando o CBGB’s e o Bowery eram uma legítima terra de ninguém; revive os dias de glória do Velvet Underground, Ramones, MC5, Stooges, New York Dolls, Television e Patti Smith Group e disseca a morte do punk – quando este se torna manchete de jornais e uma nova onda para retardatários.
Mas gente o que foi esse livro?? Eu lembro que eu comprei ele pra minha irmã de presente para ela, mas não fiquei lá com muita vontade de ler. Ai ela chegava todo dia falando de alguma coisa nova que acontecia e eu não resisti. E agora me arrependo da demora pra ter inciado a leitura.
A verdade é que é uma leitura de dois dias no máximo, e isso não pelo fato dele ser um pocket (pelo menos a edição que tenho é), mas porque ele é de uma leitura rápida mas extremamente chocante.
O livro é todo feito a partir de uma serie de entrevistas e os entrevistados são ninguém menos que os então reconhecidos e no auge da fama, Iggy Pop, Dee Dee Ramone, Andy Warhol, os então precursores do Punk e responsáveis pelo seu boom no mundo musical, principalmente na Inglaterra e Estados Unidos.
"Legs McNeil : Então eu disse: por que a gente não chama de Punk ? A palavra “punk” pareceu ser o fio que conectava tudo que a gente gostava – bebedeira, antipatia, esperteza sem pretensão, absurdo, diversão, ironia e coisas com um apelo mais sombrio."

As entrevistas são relatos dos membros de varias bandas, contando sobre inicio do sucesso, o uso de drogas, shows, sexo, a vida no ritmo deles e como eles veem o mundo da fama e seu próprio sucesso. Temos tambem entrevistas com algumas groupis famosas como Nico, Connie Hamzy e seus ponto de vistas sobre suas "conquistas".
É um livro de linguagem bem carregada, pontos de vista bem impressionantes, historias que você para e pensa "mas não pode ser!!", produtores que tinham grandes problemas em controlar seus clientes, namoradas vingativas, sexo intenso, como alguns se conheceram e foram promovidos uns pelos outros,mudanças de personalidade e principalmente musica, tudo muito a flor da pele.
Tom Baker: Sentei com Andy Warhol e sua comitiva numa mesa comprida perto do palco. Pam Courson, a namorada de Morrison, entou do meu lado e estava muito entusiasmada. Ela me disse: “Jim está com tudo em cima pro show desta noite. Esqueça aquela bosta no Gazzari’s, agora você vai ver o verdadeiro Jim Morrison. Quando o vi no Gazzari’s, um clube na Sunset Strip, Jim estava viajando de LSD e totalmente bêbado.”

O livro foi dividido em duas partes, e a segunda consegue ser ainda melhor que a primeira, mas vou falar dela outro dia! 
Como é um livro de entrevistas não tem muito o que eu ficar comentando, mas eu garanto que é uma leitura mais que indicada, principalmente porque ela foge um pouco daquele estilo biografia de banda com foto e tudo mais, aqui é mais a verdade nua e crua das coisas.

"Dee Dee Ramone: A primeira viz que vi Iggy foi no show dos Stooges no Electric Circus, em St. Marks Place, em junho de 1971. Eles entraram atrasados porque Iggy não conseguia achar mais nenhuma veia pra se picar porque os braços dele já estavam completamente fodidos. Ele ficou puto e não saia do banheiro, então a gente teve que esperar."
Iggy Pop, Arthur Kane, David Johansen, groupies e alguns fãs.


Bom eu espero que tenham gostado =DD
Uma ótima semana pra vocês seus lindos!
#Lih Maria <33

terça-feira, 1 de abril de 2014

#Longe Como o Meu Querer

Heeey pessoas lindas tudo bem?? 
Estão aguentando firme as piadinhas de 1º de Abril?? É força ai gente =DD
Então eu deveria estar fazendo trabalho mas estou aqui fazendo uma resenha porque sou rebelde assim -q
Um dos livros que foi leitura do colégio, mas acabou sendo um dos meus favoritos e acho que já li umas milhões de vezes e nunca deixa de me surpreender: Longe Como o Meu Querer.

Autora: Marina Colasanti
Editora: Ática

Sinopse: Uma jovem enfrenta um ogre comedor se sonhos; um rei presenteia a filha com a cabeça do seu amado; uma mulher tem a lua sob a pele - "Longe Como o Meu Querer" mostra um universo mágico de personagens encantadores, reinos distantes e paisagens longínquas onde tudo pode acontecer. Amor, ambição, coragem, desejo, solidão: os contos de fada tratam de sentimentos comuns a todos nós. Assim, por meio de alegorias delicadas, as histórias de Marina Colasanti revelam aspectos essenciais da alma humana.


Eu tenho que dizer que esta é quase uma resenha de dedicatória a minha professora de Português da 7ª serie, que pegava bastante no meu pé, mas também tinha um gosto maravilhoso pra leituras obrigatórias e uma das pessoas que contribui muito para minha paixão por leitura e desenvolver a capacidade critica da leitura. Ela também gostava muito dos textos que eu escrevia, apesar de pegar no meu pé por eu sempre abusar do limite de linhas! Não sei porque lembrei disso agora, mas achei que seria bom compartilhar isso com vocês =D

É um livro de divididos em vários contos, todos muto bens escritos e abordando temas distintos. Claro, temos príncipes, princesas, piratas, deusas e situações no minimo únicas, mas que são de uma leitura tão profunda e tão significativa que se tivesse um livro único pra cada conto eu compraria os 24 livros.
Marina Colasanti é uma autora brilhante, que misturou diversas lendas diferentes, de diferentes etnias e as trouxe mais para perto de nós. Cada conto tem começo meio e fim e como eu disse, tratam de questões psicológicas, amores impossíveis, conquista de liberdade, atos de coragem, pequenos milagres e coisas assim.
São no total 24 contos, e claro tenho meus favoritos e é deles que eu vou falar.

O primeiro é A Princesa Mar a Mar, onde um Rei, pai de três filhas, resolve que estão em idade para se casar, mas o problema é que nenhum artista de seu reino consegue fazer jus a beleza das meninas em seus quadros e estes foram mortos. Os artistas então passam a se esconder e não se apresentarem mais, mas quando o Rei acha que não conseguira casar suas filhas, o Embaixador alega que tem a solução para os problemas do Rei. Levando consigo tesouros vindo de seu reino, ele apresenta as princesas a seus noivos de maneira unica, as comparando a pequenos tesouros que são no minimo inusitados e que também refletem um pouco da personalidade de cada uma delas. 
"- Que mais trouxe, Senhor, além do sol? - Perguntou-lhe o Castelão do alto de seu trono.Então o Embaixador contou como o Rei o havia enviado porque sua segunda filha estava madura para casar. E quando o Castelão pediu para ver seu retrato, tirou de debaixo do manto o botão que havia desabrochado, e exibiu à corte a mais linda das rosas.- Ela é assim, delicada, suave, rósea. A mais nobre entre todas.Fez uma pausa, procurou com um sorriso o olhar do Monarca, e acrescentou: - E tem seus espinhos."
Em O Moço que não tinha Nome, em um vilarejo, um Moço era assunto de todos, pois não tinha um rosto e quando as pessoas olhavam para ele, apenas se viam refletidas. Acabava então que ele sofria de uma grande solidão, já que alem de não ter rosto, também não tinha nome. É um conto bem rápido, um dos poucos que não tem nenhum dialogo, mas que fala sobre a identidade de cada um e a importância de sermos reconhecidos, seja pelo nosso nome ou pelo que somos, nossas diferenças e como elas nos tornam únicos. Também fala de como a personalidade pode se tornar crucial quando nos aproximamos de alguém e só então nos vamos prestar atenção a aparência externa da pessoa.
 "Assim, sem olhos ou sorrisos que fossem seus, ninguém conseguia escolher um nome que a ele se ajustasse, tornando-o único, impossível ser confundido com qualquer outro. Era muita ausência para ele carregar."
De Ardente Coração é um dos meus favoritos, e se trata de um Baralho, aonde a mais famosa das cartas é a Dama de Copas, todos querem ficar a seu lado, mas ela sofre de um vazio muito grande dentro de si e uma das coisas que a incomoda é que abaixo de sua cintura existe outra igual a ela, mas ela não sabe quem ela é de verdade. Acontece que graças a um evento, ela tem sua carta dobrada e ela fica cara a cara com sua outra metade e tem o preenchimento de seu vazio, já que o que ela tem o encontro consigo mesma e não mais duas damas, e sim apenas uma.
E finalmente, o conto que deu nome ao livro, em Longe Como o Meu Querer, um Rei presenteia sua Filha com a cabeça de homem por quem ela se apaixonou. Então ela guarda sua cabeça, perfuma seus cabelos, mas sua surpresa é quando a cabeça começa a suspirar baixinho ao seu lado, e ele esta deprimido porque seu trabalho no campo não esta terminado, e ele não podia deixar as coisas por fazer. Então ela pede ajuda a sua Dama de Companhia, e parte aos campos para completar as tarefas do homem que perdeu sua vida por ela. É um dos contos mais lindos que trata do amadurecimento muito bem escrito e em poucas paginas, vemos uma Castelã mudada e indo de encontro com seu destino.
"- A distancia até o mar - disse tão baixo que talvez a dama nem a ouvisse - sem mede pelo meu querer.
E esporeou seu cavalo."
Bom esses são apenas alguns dos contos, e eu poderia falar de todos eles, mas e acredito que a leitura deles é mais que essencial. Foi um livro merecedor dos premios que ganhou, que foram o premio Latino-americano Norma-Fundalectura de1996 e o selo Altamente Recomendável para o Jovem, FNLIJ de1997.
Apesar da quantidade de contos é um livro pequeno, de leitura rápida e que eu garanto que vocês vão ficar pensando nele por alguns dias.


Beijos seus lindos e uma ótima semana pra vocês O/
#Lih Maria <3

quarta-feira, 26 de março de 2014

#A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar

Olá minha gente, como vocês estão???

Estamos aqui nos desmanchando de alegria. Para tudo e dá uma olhada nesse layout novo *_* ... Chique demais. Temos que agradecer muito muito, mas muito mesmo para o Henrique do blog Fascínios Literarios, pq sem ele ia ficar difícil rsrs ... 

Bom, e vamos lá para nossa resenha de hoje, que com essa cara nova deu até empolgação. E nada mais justo que um post a altura.

O livro de hoje é:

A ESTRELA QUE NUNCA VAI SE APAGAR 







A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar
Autora: Esther Earl
Número de páginas: 448
Editora: Intrinseca











Falar desse Livro não será uma tarefa fácil. Só de pensar nele já me dá vontade de chorar T.T. 


Quem aqui leu: A culpa é da estrelas? Pois bem, John Green inspirou-se na história de Esther para criar Hazel (mas foi só inspiração, ACEDE não é sobre a ESTHER). 
Esther é uma garota cheia de vida e que aos 12 anos é diagnosticada com um câncer infantil muito raro, câncer na tireoide. Obviamente, não preciso nem comentar, que a notícia foi um choque para a família toda. Tudo teve que ser mudado e Esther precisou de assistência integral à sua saúde.

Mas apesar de todos os contratempos Esther levava uma vida de forma positiva. Encarava todos os dificuldades, mas nos momentos mais solitários encontrava refúgio na internet, onde se tornou membro dos Nerdfighters e dali saiu um grupo muito querido que acompanhou e apoiou Esther até seus últimos dias. Isso a ajudou muito e em paralelo nutria um canal do youtube com videos divertidissimos, compartilhando sua história. 

Nessas idas e vindas da vida, em determinado momento, em um evento, Esther conheceu John Green que se mobilizou com a sua história e se tornou alguém muito próximo na vida dela. Inclusive foi parte essencial no seu Make A Wish. 
Tudo foi se entrelaçando e a história de vida de Esther foi se espalhando na internet e tocando várias pessoas que torciam pela sua recuperação. 
Era uma garota de muitos sonhos e desejos, que foram interrompidos muito cedo, somente com 16 anos. E um dos seus maiores sonhos era ser escritora e felizmente ela conseguiu e com certeza está muito feliz por isso. 

Não é atoa que me emociono toda vez com essa história, pois ela é sensacional do começo ao fim. Claro, com seus altos e baixo (mais baixos do que altos, mas emocionamento do mesmo jeito). O relato do livro é todo feito a partir de escritos que Esther deixou e isso faz com que a proximidade seja maior. Me senti muito próxima dela, sorri quando ela sorria e chorei quando ela chorava ou sofria. Li o mais devagar possível para que nunca terminasse de viver aquilo e quando finalmente acabou fui preenchida por um vazio inexplicável, o qual eu sinto até hoje.

Soará meio clichê o que direi agora, mas com certeza é uma história que me mudou internamente como pessoa e que me colocou para apreciar momentos simples da vida, seja um dia ensolarado ou aquela chuvinha refrescante, seja o bom dia de alguém desconhecido ou rir de si mesmo. São coisas das quais se passam despercebidas no dia a dia, mas que fazem toda a diferença. Para que tornar tudo ainda mais trágico? 

Se você não está preparado para chorar e se emocionar ou chorou horrores com ACEDE, saiba que vai ser difícil conter a emoção. Porém vale a pena cada lágrima, pois Esther é excepcional e inspiradora, única no seu jeito de ser e uma ótima desenhista por sinal, e que te ensinará grandes lições. É uma leitura única, assim como Esther. 

A vida não é para ser vivida pela metade. Ela deve ser aproveitada de maneira plena e total. Se você quiser fazer uma mudança no mundo, precisará ser forte. Precisará arriscar. Precisará perseverar. Às vezes, precisará seguir cegamente em uma direção mesmo sem ter qualquer certeza, mas porque acredita que ela vai levá-a ao lugar certo. — página 378

E aqui termino e deixo com vocês mais um pedacinho de Esther

Apenas seja feliz, e, se você não conseguir ficar feliz, faça coisas que o deixem feliz. Ou fique sem fazer nada com as pessoas que o fazem feliz. — página 384

Espero que tenham gostado ^^ Beijos e até a próxima.

sábado, 22 de março de 2014

#Amante Desperto

Heey lindos tudo bem??
Prontos pro fim de semana?? Tomaram Engov já?? E chega que já deu né =DD
Então antes da resenha de hoje eu quero mais uma vez a ajuda de vocês e com mais força agora gente pra campanha PAI DEIXA EU TER UMA IGUANA!! 
Bora pra rua comigo gente \O/ -q
Cof cof mudando de assunto vamos a resenha de hoje, já que em breve vai sair mais um dessa saga e eu amo de mais então resenha dele  hoje pra vocês =DD
Da Irmandade da Adaga Negra: Amante Desperto.  

 Titulo Original: Lover awakened
Autora: J. R. Ward
Editora: Universo dos Livros
Sinopse: Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra entre vampiros e seus carrascos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Dentre eles, Zsadist é o membro mais assustador da Irmandade da Adaga Negra.
Tendo sido por muito tempo um escravo de sangue, Zsadist ainda carrega as cicatrizes de um passado repleto de sofrimento e humilhação. Conhecido por uma fúria que não acaba e por atos sinistros, ele é um selvagem, temido igualmente por humanos e vampiros. A raiva é sua única companheira e o terror, sua única paixão… Até que resgata uma bela vampira das garras da maligna Sociedade Redutora. Bella sente-se imediatamente enfeitiçada pela ardente força que emana de Zsadist. Entretanto, mesmo quando o desejo de ambos começa a consumi-los, a sede de vingança de Zsadist contra os torturadores de Bella o leva à beira da loucura. Agora, Bella deve ajudar seu amante a superar as feridas de seu atormentado passado e vislumbrar um futuro ao lado dela…
Aiiinn gente que livro foi esse?? *-* Eu sou suspeita pra falar porque acho que esse é o meu favorito dentro de toda a série.
O livro começa justamente alguns dias depois do sequestro de Bella pelos Redutores (aqueles vilões da serie que tem cheiro de talco) e acontece que o mais preocupado com o que aconteceu com ela é justamente Zsadist.
Zsadist é o que faz o estilo anti herói do livro, já que ele é cruel com os inimigos e dificilmente se relaciona com os outros irmãos, com exceção de seu irmão gêmeo Phury, mas mesmo assim o relacionamento dos dois é cheio de conflitos por conta do passado de Z. Ele foi sequestrado quando bebe ainda do berço pela babá da família e vendido a um castelo em um reino distante, e depois de ter passado pela transição para macho adulto, acabou se tornando escravo de sangue da Ama, se tornando também seu escravo sexual, então ele passou anos e anos sofrendo todo tipo de abuso por sua genética rara de guerreiro e os benefícios na aparência que ele possuía. 
Depois que teve sua vida salva por seu irmão a custo de cicatrizes horríveis e a perda da perna de Phury, não é atoa que Z não seja o mais falador nem o mais entrosado entre os irmãos. Ele também carrega a fama de ser um assassino de fêmeas, o que ajuda menos ainda. Mas ele esta determinado a encontrar Bella.
"Dentro de Z. não havia amor que pudesse dar a quem quer que fosse. Mas o ódio que sentia seria canalizado até o seu último suspiro para vingar Bella."
Bella esta nas mãos dos Redutores, mas só que acabou que ela acabou chamando a atenção de um deles que agora declarou estar apaixonado por ela. Ele a mantem presa em um porão e a tortura todos os dias a espera da submissão dela e que isso se torne amor. David (nome que ele adotou) é completamente louco, mesmo dentro dos Redutores. Apos passar por todo esse inferno, graças a um erro do próprio David, um civil escapa e conta onde ela esta, finalmente então Bella é salvo, e o primeiro a chegar até ela é Zsadist.
Depois de salva, ele a leva para o seu quarto e é lá que ele a quer e cuida dela e também é onde o futuro dos dois é decidido.
"Bela estava tão quieta na cama, tão pequena contra os travesseiros.
Imaginou ela dentro daquele tubo, enterrada na terra. Assustada. Sentindo dor. Frio. Logo, imaginou o redutor lhe fazendo o que lhe tinha feito, prendendo-a a força enquanto ela lutava e gritava.
Desta vez, Z sabia o que sentia. Ânsias de vingança. Fria, gelada vingança. Tanta, que a merda ia se estender até o infinito."

Então nem tudo são flores no relacionamento destes dois, principalmente porque, apesar dos sentimentos profundos que Z tem por Bella, ele se recusa a ficar muito próximo a ela, ele é completamente traumatizado sobre as fêmeas, tendo medo de qualquer envolvimento com elas graças a puta da sua Ama, então ele recua sempre que Bella tenta alguma coisa mais caliente com ele, mas claro essa resistência não dura para sempre e eu acho as cenas de amor dos dois uma das belas em todos os livros, justamente porque Z. vai aprender que o amor pode mudar muita coisas. Bella esta completamente apaixonada por Z, e esta determinada a romper todas as barreiras que ele tem em seu coração e todos os medos de compartilhar sexo com ela também.
"Olhou para ela. Estava tão bonita por entre os lençóis emaranhados e travesseiros espalhados. Mas estava aterrorizado com ela; e , por causa disso, aterrorizado por ela. Os toques e os beijos, por mais que os tivesse apreciado no começo, funcionavam como um detonador para ele. E não podia se colocar numa situação que o deixasse tão alterado estando perto dela.
- Não faremos isso de novo - disse. - Isso não voltará a acontecer.
- Você gostou - A voz dela soou delicada, mas forte - Pude sentir seu sangue correndo loucamente sob minhas mãos.
- Sem discussão."
Outro problema é que, Phury esta apaixonado por Bella também, mas sabe que apensar de tudo, é inútil ter tais sentimentos, já que ela já deixou bem claro a escolha que fez e qual dos irmãos escolheu. Mas claro, sentimentos assim não se apagam fácil.
Como eu disse, o romance dos dois é um dos mais profundos e um dos que mais me fizeram chorar, muitas vezes quis eu mesma ir atras da Ama de Z e encher a cara dela de porrada! Passei varias paginas querendo dar umas sacudidas em Z e até na Bella também, porque nossa ela consegue ser irritante quando quer, mas tudo é muito bem recompensado no final.
"Quando me encontrou, estava morto, embora respirasse. Estava cego, embora pudesse ver. E então você chegou… E eu fui despertado."
Ahh e claro, não posso me esquecer de dizer que uma das partes mais legais é quando a Bella entra em seu período de necessidade e eu quase fico com dó do Zsadist, mas ficou no quase.
Neste livro conhecemos também o irmão de Bella, apesar de ele já te aparecido antes, ele é o dono de um dos bares frequentado pela Irmandade, alcoviteiro, cafetão, senhor das drogas e absolutamente perigoso dono de olhos violetas: Rehvenge, que vai ter um livro mais pra frente e mais sobre ele mais pra frente também.
Sobre o gêmeo de Z, Phury, ele também tem um livro dele, mas a verdade é que, eu não gosto muito dele, mas também falarei dele mais pra frente.
Bom é isso, eu espero que tenham gostado da resenha =DD
Um ótimo fim de semana para vocês seus lindos!!
Bjoos seus lindos <33

segunda-feira, 17 de março de 2014

#O Resgate do Tigre

Heeey party people tudo beem??
Aproveitaram o Carnaval?? Usaram camisinha?? Apagaram as fotos comprometedoras do celular e da vida?? 
Então blz =DD
Ok chega né já deu!
Entãão resenha da madrugada de hoje é uma que estou devendo faz tempo, já que o primeiro livro foi se não me engano o primeiro post do blog e ai eu emprestei o livro e quase achei q ele não ia voltar mais mas ai ele voltou, então resenha pra vocês \O/ 
O segundo livro da Saga do Tigre: O Resgate do Tigre.

Titulo Original: Tiger's quest
Autora: Collen Houck
Editora: Arqueiro

Sinopse: Sinopse: Kelsey Hayes nunca imaginou que seus 18 anos lhe reservassem experiências tão loucas. Além de lutar contra macacos d'água imortais e se embrenhar pelas selvas indianas, ela se apaixonou por Ren, um príncipe indiano amaldiçoado que já viveu 300 anos. Agora que ameaças terríveis obrigam Kelsey a encarar uma nova busca – dessa vez com Kishan, o irmão bad boy de Ren –, a dupla improvável começa a questionar seu destino. A vida de Ren está por um fio, assim como a verdade no coração de Kelsey. Em O Resgate do Tigre, a aguardada sequência de A Maldição do Tigre, os três personagens dão mais um passo para quebrar a antiga profecia que os une. Com o dobro de ação, aventura e romance, este livro oferece a seus leitores uma experiência arrebatadora da primeira à última página.

ATENÇÃO: Este é o segundo livro, então se quiser evitar algum tipo de spoiler pare aqui =DD

Aiiin antes de mais anda eu tenho que dizer o quanto eu amo essa capa por motivos de Kishan nela *-*
Este livro começa exatamente de onde terminou o primeiro, com Kelsey voltando pra casa com o coração partido, ao meu ver unicamente pela própria escolha dela, mas ela volta pro Oregon pra poder cursar a faculdade dela e esquecer os seus sentimentos pelo Ren.
Claro que os planos dela não vão bem e os primeiros capítulos do livro temos uma Kels, que antes era do tipo determinada e fazia antes de pensar, afogada em melancolia e até um pouco, digamos, chata.
Ela esta decidida a ficar afogada na fossa e demora um pouco pra ela reagir. E pra ser sincera mesmo, mesmo depois ela ainda esta um pouco pedante e eu fiquei irritada muitas vezes com ela. Ao invés de um amadurecimento, ela parece ter sofrido uma regressão um tanto drástica de heroína a mocinha sofredora nivel hard. 

Mas ai ela começa a reagir e logo de cara tem 3 encontros em uma unica semana, um muito engraçado por sinal, mas então ela começa a  fazer aulas de wushu, que é um estilo marcial, pra poder não depender tanto de Ren nas próximas missões e acaba conhecendo o muito fofo do Li, com quem ela acaba tendo um encontro e se torna um rival em potencial (alias eu cheguei a torcer por ele xD)
Claro que apesar da Kels estar determinada a viver sem Ren, ele próprio não pensa assim, e então ele vai atras dela e depois de vaaaarios momentos únicos entre os dois, eles finalmente estão namorando \O/

“Existem muitos tipos de beijos. Há o beijo apaixonado de adeus - como o que Rhett deu em Scarlett ao partir para guerra. O beijo de “não posso ficar com você, mas quero ficar” - como o de Super-Homem e Lois Lane. Tem o primeiro beijo - delicado e hesitante, calido e vulneravel. E tem tambem o beijo de posse - que era como Ren me beijava naquele momento.”
Bom sobre o Ren, ele mudou pouco na verdade. Continua sendo o perfeito príncipe delicia vem que eu sou sua de sempre, só que em uma versão mais determinada a mostrar a Kels, que apesar dos medos dela, eles podem sim ficar juntos. O problema é que quando tudo parecia uma grande nuvem rosa, Lokesh finalmente da sinal de vida e esta ameaçando a segurança de Kels.
Então nada mais justo que conseguir uma ajuda extra com ele, meu príncipe bad boy, Kishan <3
E então o problema de verdade começa quando, em uma emboscada de Lokesh, Ren é capturado pelo inimigo, e o único modo de ajuda-lo é conseguindo mais um dos objetos sagrados.
A aventura de verdade começa ai.
Este na verdade é um livro da Kels e do Kishan trabalhando juntos, o que foi bem divertido, já que Kishan é fácil de se ter por perto, e claro, o que o Ren tem de certinho e heroico, Kishan tem de contrario, sem falar que ele perde aquela imagem de traidor por tudo que aconteceu e da pra perceber que foi tudo muito mais complicado do que todo mundo acreditava. Ele também esta gostando da Kels, e deixa isso bem claro o tempo todo, mas sempre com algumas doses de humor e nossa quando ele da pra ser romântico é bem momentos de guenta coração viu xD
“- Não sou o tipo de homem que reprime os sentimentos, Kells. Não fico sentado no quarto me consumindo de tristeza, escrevendo poemas de amor. Não sou um sonhador. Sou um lutador. Sou um homem de ação e vou precisar de todo meu autocontrole para não lutar por isso. Quando é preciso fazer alguma coisa, eu faço. Quando eu sinto alguma coisa, eu tomo uma atitude. Não vejo nenhum motivo para que Ren mereça ter a garota dos seus sonhos e eu não. Não me parece justo isso acontecer comigo duas vezes.”
Eu adoro os cenários desse livro, principalmente os da Índia e os templos sagrados, que são muto bem descritos o que facilita muito o entrosamento com tudo ao redor, cultura e tudo mais, mas eu acho cansativo as descrições infinitas sobre comida que a autora faz. Claro ela apresenta tudo muito bem, mas acho que ela se apegou a descrição de pratos e em algumas paginas aprecia mais encheção de linguiça, mas nada que realmente atrapalhe a leitura. Gosto muito da Durga também e suas musitas faces e personalidades em cada templo, e não vamos nos esquecer que ela não segura o sorriso quando vê Kishan (ela é fã dele tbm gnt ;D)
"Ele fez uma profunda reverencia e sorriu sedutoramente para ela.
- Aceitarei com alegria qualquer coisa que me oferecer, minha linda deusa.
Revirei os olhos.
Ela balançou a cabeça ligeiramente em reconhecimento e não pude ter certeza, mas pensei ter visto uma covinha onde ela contraiu a boca num breve sorriso."
Outro personagem que gosto bastante é o Sr. Kadam. Ele faz o papel paternal com todo mundo ali e esta sempre pronto pra ajudar de todas as maneiras, tanto pelo bem estar deles como também com conselhos de todos os tipos, mesmo os amorosos.  
 O vilão, Lokesh, é quem eu acho que ficou menos trabalhado em toda este livro. Ele faz algumas aparições, mas é meio jogado e não da pra saber de verdade o que ele quer, alem do fato de que ele odeia os tigres, mas como este já era um segundo livro, espera um pouco mais de atenção pra ele, afinal ele é o responsável por toda essa situação.
O que me irritou bastante também, foi o Ren apos resgate, mas isso fica pra proxima resenha =DD
Bom é isso por hoje gente!
Bjos seus lindos <33

sábado, 22 de fevereiro de 2014

#Desejo a Meia Noite

Heey lindos e lindas tudo bem??
Eu aqui hoje sem whats funcionando então vim postar uma resenha =DD
Mentira é que na verdade já estava com essa resenha parada aqui faz um tempinho e hoje senti que era dia de posta-la!
Entãão pra vocês o primeiro livro da serie dos Hathaway: Desejo a Meia Noite.

Titulo Original: Mini till midnight.
Autora: Lisa Kleypas 
Editora: Arqueiro

Sinopse: Após sofrer uma decepção amorosa, Amelia Hathaway perdeu as esperanças de se casar. Desde a morte dos pais, ela se dedica exclusivamente a cuidar dos quatro irmãos – uma tarefa nada fácil, sobretudo porque Leo, o mais velho, anda desperdiçando dinheiro com mulheres, jogos e bebida. Certa noite, quando sai em busca de Leo pelos redutos boêmios de Londres, Amelia conhece Cam Rohan. Meio cigano, meio irlandês, Rohan é um homem difícil de se definir e, embora tenha ficado muito rico, nunca se acostumou com a vida na sociedade londrina. Apesar de não conseguirem esconder a imediata atração que sentem, Rohan e Amelia ficam aliviados com a perspectiva de nunca mais se encontrarem. Mas parece que o destino já traçou outros planos. Quando se muda com a família para a propriedade recém-herdada em Hampshire, Amelia acredita que esse pode ser o início de uma vida melhor para os Hathaways. Mas não faz ideia de quantas dificuldades estão a sua espera. E a maior delas é o reencontro com o sedutor Rohan, que parece determinado a ajudá-la a resolver seus problemas. Agora a independente Amelia se verá dividida entre o orgulho e seus sentimentos. Será que Rohan, um cigano que preza sua liberdade acima de tudo, estará disposto a abrir mão de suas raízes e se curvar à maior instituição de todos os tempos: o casamento?

Entããão eu conheci esse livro a algum tempo ele ficou na minha lista de desejados, até que finalmente consegui ler!
Mas confesso que foi meio com o pé atras, já que não sou lá muito fã de romances de época!
Mas poxa eu meio que surpreendi com este *-*
Amelia Hathaway se tornou a cabeça chefe da família desde a morte de seus pais, mas as coisas não são fáceis. Pra começar, seu irmão mais velho e recém nomeado Lorde Ramsay graças a uma linhagem distante, recebeu o dnehiro que era preciso pra ajudar a sustentar suas irmãs, mas esta determinado a arruiunar tudo gastando tudo com jogos, bebidas e mulheres, isto graças a suas próprias desilusões, então coube a ela ser a chefe da  família pouco convencional e de modos pouco bem vistos entre os nobres de Londres. E então ela te como solução se mudar com suas irmas e irmão ao campo para evitar que seu irmão se mate.
Eu goste logo de cara da Amelia, isso porque ela me fez rir varias vezes! Ela tem uma língua afiada, um bom senso quase inabalável e dona de uma paciência a nível do infinito. Ela é a solteirona que espanta pretendentes, mas tambem, ela teve seu coração magoado e resolveu que sua família deveria estar sempre em primeiro lugar, apesar de quase sempre ser colocada em apuros de todo tipo, ela os ama muito.
Bom então, Amelia estava indo novamente atras de seu irmão que estava sumido a alguns dias, junto com o amigo da família e protetor, o cigano Merripen *suspiros*. E então acabam buscando informações sobre ele na taverna da cidade e acabam conhecendo outro cigano, ou melhor meio cigano meio Irlandês, Cam Rohan, que informa que ele perdeu no jogo uma boa somatória em dinheiro e foi se consolar em um bordel.
Cam *mais suspiros* Rohan também logo de cara se tornou querido por mim! 
Ele é um cigano mas vive uma vida de lorde, tem o que ele chama de" maldição da boa sorte", já que ciganos não acumulam riquezas, ele ganha dinheiro mesmo não querendo, e agora esta entediado e cansado de casos de uma noite. E foi bater os olhos em Amelia para que as coisas mudassem.
Comos e trata de um romance de epoca, o caso de Amelia e Cam foi muito bem trabalhado de acordo com os costumes de Londres naquela epoca, mas é claro, como envolvia ciganos, o lado mais sensual de tudo ficou por conta das investidas de Cam, até seduzir por completo Amelia e só por deus as cenas dos dois são literalmente fgo, mas com uma dose respeitável, sem linguajar chulo nem nada, mas parece que entre os dois antes de qualquer romance verdadeiro, eles tiveram uma atração muito forte pelo outro a nível de tesão mesmo. Maaaas mesmo assim eu gostei bastante da interação entre os dois e como eu disse eu dei boas risadas com os dois.
“Antes que Amelia pudesse responder, Rohan cobriu sua boca com a dele. Ela sentiu uma onda de calor, seu sangue fervia, sem conseguir deixar de retribuir: mas fácil seria mandar seu coração parar de bater. Tocou nos cabelos dele, nos belos cachos de ébano que se enrolavam com leveza em seus dedos. Tocando-lhe a orelha, ela encontrou o diamante. Mexeu nele com delicadeza e então seguiu a pele firme e acetinada até a beira do colarinho. A respiração dele ficou mais ruidosa e ele a beijou com mais intensidade, a língua penetrando-lhe numa exigência sedosa.”
Cam tambem tem algumas questoes pessoais para resolver, a principal é descobrir o porque de seu grupo cigano o ter abandonado a tantos anos atras e principalmente, o significado de sua tatuagem de um antigo simbolo pagão, o cavalo Pooka e o que ela representa de verdade e porque só ele aparentemente a possuía quando ainda estava com seu grupo.
Ele sente vontade de voltar a estar com um grupo e morar a céu aberto, mas agora ele tem duvida sobre o que decidir, ainda mais agora com Amelia tomando conta de seus pensamentos. Mas é claro, Amelia tambem não facilita e acaba por se tornar quase um desafio ela dizer sim a suas propostas de casamento.
"- Admito que não será  fácil estar casada com um homem romani. Somos 
possessivos. Ciumentos. Preferimos que nossas algemas nunca toquem a outro 
homem. Não terá direito a te negar a mim em nossa cama. —Seus lábios cobriram os dela em um beijo abrasador, sua língua explorando profundamente. - Mas bom, não desejará fazê-lo - Outro comprido e preguiçoso beijo depois, e Cam disse contra sua boca. - Terá o aspecto de uma mulher bem amada Monisha."
Mas gente como eu adooro esses dois <33
A evolução da leitura é muito boa e como é uma serie, o próximo livro é da muito fofa da irmã do meio de Amelia, a frágil, ao meu ver nem tanto, Win e aiii quem sera quem sera seu par em??
Sobre a Família Hathaway, eles tem personalidades muito bem definidas, com gostos variados e todo tipo de problema, qe não chega bem a ser um problema, mas de fato eles não se encaixão nos padrões da época. Isto graças a criação deles e do pensamento filosófico avançado! O que torna eles agradaveis durante a leitura e cada um deixa sua marca enquando são apresentados. Então eu vou falar de cada um em seu livro porque eles merecem espaço próprio =D
Merripen também é uma figura importante, mas o porque eu não vou contar agora porque sou dessas ;D
Bom é isso =DD
Espero que tenham gostado =DD
Bjos seus lindos e até a próxima =3